O que fazer em Kashan, no Irã?

Kashan é uma charmosa cidade do Irã, situada na província de Isfahan.  Num primeiro momento Kashan não estava nos nossos planos, devido ao pouco tempo que tínhamos no Irã, maaas ainda bem que acabamos colocando Kashan na rota e pudemos descobrir um verdadeiro paraíso!

Por que colocar Kashan no caminho?

Quando estávamos decidindo nosso roteiro e utilizando o google maps  vimos que no caminho de Isfahan para Teeran havia Kashan, então pensamos:  “Por que não ajustar o roteiro para incluir mais uma cidade?” E foi exatamente isso que fizemos 😀

Isso só foi possível porque organizamos com antecedência o nosso roteiro! Quer saber Como montar um roteiro de viagem? e otimizar seu tempo? Então só clicar aqui.

Kashan

Essa charmosa cidade do Irã é também conhecida por seus oásis, além do belíssimo contraste que faz com o deserto. Na etimologia da palavra, Kashan significa “azulejos” sendo originária da palavra persa “Kashi”.

Kashan é muito conhecida por suas casas históricas no estilo persa e seus artesanatos, sobretudo pela seda. No entanto, por lá, encontramos belíssimos hijab e demais tecidos feitos artesanalmente pelos locais. Além da seda, um dos locais mais importantes para a cidade é o Jardim Fin, um dos mais importantes jardins do Irã (logo mais abaixo eu te conto o motivo!)

Mas o que fazer em Kashan?

Mas, essa cidade ganhou literalmente nosso coração e eu vou te dizer o porque! Apesar do nosso tempo por lá ter sido muito curto, no entanto conseguimos ver os monumentos mais importantes de Kashan, que são eles: Jardim Fin, Mesquita Agha Bozorg, Grand Bazar de Kashan, as casas históricas como Tabatabaie House e Boroujerdi House e um tesouro que encontramos dentro do Bazar! Foi só amores por Kashan!

Jardin Fin

Fin Garden é o mais importante e antigo jardim persa de todo o Irã! A história da importância do jardim é tamanha que leva muitos turistas e locais até Kashan. Então que em 1952 o então rei Nasereddin Shah mandou matar seu cunhado e primeiro ministro Qajarid.

Mas o primeiro ministro Qajarid era muito amado pelo povo e também pelo próprio Shah Nasereddin. Mas então, se ele era tão amado pelo povo e pelo próprio rei, você deve estar se perguntando o motivo do rei mandar mata-lo, certo? Então vou te contar a história contada pelo nosso próprio guia iraniano!

Veja também: O que fazer em Yazd, o berço do zoroastrismo no Irã?

Segundo a história, a mãe do Shah Nasereddin estava tendo um caso com um homem que era inimigo do governo do próprio Shah. Mas, já que o primeiro ministro Qajarid era muio amado e respeitado pelo povo persa pois lutava pelos seus direitos. A sogra de Qajarid, ouvindo o então companheiro começou a azucrinar a cabeça do rei, seu filho para tirar os direitos de primeiro ministro de Qajarid. Então, para evitar conflitos, o próprio rei pediu para que Qajarid se exila-se em Fin Garden até que a poeira se abaixa-se um pouco por lá e Qajarid obedeceu.

Numa noite de bebeiras, a sogra de Qajarid acabou conseguindo uma assinatura do filho, o rei Nasereddin em um documento que autorizava a morte do primeiro ministro. Soldados estavam a caminho de Fin Garden no entanto, quando o rei descobriu o que houvera na noite anterior, o rei pediu então para o seu mais rápido mensageiro correr até o jardim para evitar a morte de seu cunhado, no entanto quando ele chegou já era tarde demais.

Veja também: Como fazer a mala perfeita: Inverno e verão?!

Por ser primeiro ministro de Nasereddin Shah, Qajarid pode escolher o jeito que iria morrer. Ele pediu para que os guardas corta-sem seus pulsos enquanto estava tomando seu último Hamman, e foi assim que ele morreu.

Dentro do Hamman do Jardin Fin, há além da figura do primeiro ministro, a figura do mensageiro do rei, morto logo após Qajarid.

Apesar do Jardim Fin ser muito conhecido pela tragédia com o primeiro ministro Qajarid, sua origem é muito anterior ao período safávida. A UNESCO declarou o Fin Garden como patrimônio mundial da humanidade em 2012. Vale muito a pena conhecer o jardim e toda a sua história! O valor do ingresso é 200 mil rials.

 Mesquita Agha Bozorg

A Mesquita Agha Bozorg é uma antiga mesquita em Kashan, que também funciona como uma madraça. A tradicional mesquita Mesquita Agha Bozorg  e sua madraça foram construídas no século 18.

Mas, o que é uma Madraça mesmo? Madraça é uma escola corânica. Elas ficaram muito conhecidas no mundo todo após o atentado de 11 de setembro. De uma maneira geral, nas madraças não são ensinadas nenhum tipo de conhecimento além da religião islâmica. Não é ensinado por exemplo ciências, tecnologia, filosofia ou mesmo matemática, ou qualquer outra matéria além do al corão.

Veja também: Lugares que são patrimônios mundiais da Unesco no Irã!

A madraça da mesquita Agha Bozorg está localizada em toda parte de baixo, os estudantes solteiros moram lá mesmo, os casados retornam para suas casas após o dia de estudo terminar. Para se entrar na Mesquita não se paga nada, e na madraça nos é permitido apenas olhar lá de cima.

Casas Históricas: Tabatabaei House e Boroujerdi House

A cidade de Kushan também é muito conhecida pelas suas casas históricas. Tivemos a oportunidade de conhecer duas delas. Sendo a Tabatabaei House e a Boroujerdi House.

O palácio de Tabatabaei foi construído na década de 1840 para abrigar a família Tabatabaei é claro, rs. As paredes do palácio foram pintadas a mão, fazendo um belo jogo arquitetônico com os vitrais.

Já o palácio de Boroujerdi foi construído em 1857 e desenhado por um famoso arquiteto persa do século 19 chamado Ustad Ali Maryam. Sua construção demorou cerca de 18 anos para ficar pronta, e contou com cerca de 180 artesãos! Uaaaau! E tudo isso, foi para presentar a noiva de um rico (riquíssimo, diria eu) mercador chamada Haji Mehdi Borujerdui. E, adivinhem só, a noiva era da influente família Tabatabaei. Novinha de sorte, essa sim gnt?!

Brincadeiras a parte, para os fãs da arquitetura persa estar dentro das casas históricas é um presente e tanto! A entrada para ambas as casas históricas Tabatabaei e Boroujerdi é de 200 mil rials.

Sultan Amir Ahmad Bathhouse

Que o Hamman é muito conhecido no mundo todo, muitos de nós já sabíamos certo? Mas eu duvido que você imaginava que o Hamman era tão importante assim para o Irã! Eu, vou confessar que não fazia idéia que os iranianos amavam tanto assim o Hamman.

Para quem não sabe, o Hamman é um tipo de banho, maravilhooooso por sinal! O banho inicia-se primeiro numa sauna, ou banho a vapor e se termina na água fria. No meio desse caminho os iranianos costumavam negociar, fazer tratamento com sanguessugas, se depilar, fazer massagens, esfoliaçōes e claro, botar o papo em dia!

Você consegue encontrar facilmente o Hamman ou banho turco para fazer na Turquia e no Marrocos que foi onde nós conhecemos e nos apaixonamos pelo Hamman. Mas, por incrível que pareça, no Irã não é lá muito fácil de achar para ser feito, embora há muitos lugares que contam sua história, como o próprio Sultan Amir Ahmad Bathhouse.

Sultan Amir Ahmad Bathhouse era uma tradicional casa de banho, ou hamman público e que foi construído no século 16. A área toda conta com cerca de 100 metros sendo a maior área pública de hamman de Kashan!

Grande Bazar de Kashan

Por último, mas não menos importante conhecemos o famoso grande bazar da cidade de Kashan! O Bazar não é tão grande quanto o da capital Teerã, e é um bazar um pouco mais típico, já que a cidade não recebe tantos turistas assim. Então é um local onde você irá encontrar os iranianos fazendo suas compras do dia a dia e muito ou quase nenhum turista, o que torna a experiência toda muito mais imersiva.

Como todo bazar, a cidade pulsa aos arredores do Bazar de Kashan, é como dizem os iranianos, o grande bazar é sempre o coração de qualquer cidade do Irã! Experiência imperdível e que não custa nada para entrar!

Um tesouro perdido

Kashan para nós foi como descobrir um tesouro perdido! A cidade, que no inicio não estava nos nossos planos foi um belo presente pelo caminho. É uma cidade que recomendamos muito que faça parte da sua visita ao Irã.

E como todo tesouro, geralmente vem acompanhado de outro, no meio do bazar de Kashan, encontramos um mausoléu de um dos descendentes do profeta Maomé. Um lugar único, com um texto na entrada bastante convidativo dizendo que lá dentro todas as pessoas eram bem vindas, não importando seus status e muito menos sua religião. Com suas paredes revestidas de espelho, a sensação que tive era de estarmos dentro de uma jóia! Além do mausoléu, havia também uma mesquita onde algumas pessoas estavam rezando. Um lugar lindo, e uma enorme sensação de paz!

Onde estivemos em Kashan

E você, já foi ou pretende ir ao Irã? Conta para mim qual cidade do Irã você gostaria de conhecer!

Quer saber mais sobre nossa viagem pelo Irã? Não deixe de conferir nossos vídeos em nosso canal do YouTube! 😊

Amanda Saueia

Brasileira. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Amanda Saueia

Brasileira. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.