Castelo de Frankenstein!

Na nossa primeira vez na Alemanha, ficamos em Frankfurt. Decidimos então fazer alguns bate e volta perto das pequenas cidades alemãs. Uma dessas cidades era a pitoresca Heidelberg, e no caminho para Heidelberg, lá de cima de uma colina fica o famoso Castelo de Frankenstein.

Castelo de Frankenstein

Localizado no distrito de Bergstrasse, região administrativa de Darmstadt, estado de Hesse, a 370m de altura está o macabro Castelo de Frankenstein. Para chegar até lá, uma estrada sinuosa se ergue pela floresta. Subimos por uma charmosa colina. E, acredito que por ser inverno, nos deparamos com uma paisagem daquelas dignas de filme. Vez ou outra até um pouco sombrias rs. Mas estupidamente linda! Foram uns 10 minutos de subida, na total admiração daquela paisagem, e claro não fica difícil imaginar como foi a imaginação de Mary Shelley há alguns anos atrás.

Do lado da floresta onde se pode caminhar com o auxilio de um mapa.

Veja também: Como é voar na primeira classe da Qatar Airways no A380-800

A construção do castelo é incerta, mas um documento de 1252 já o mencionava. A família nobre Frankenstein foi criada com o casamento do Lorde Konrad II com Elisabeth von Weiterstadt. E a essa família pertenceu o castelo por muitas e muitas gerações…

A lenda Frankenstein

O castelo pertenceu a família Von Frankenstein durante muitos anos (leia-se em torno de 400 anos), até que em meados de 1670 a família do cientista alemão Johann Konrad Dippel, comprou o castelo.

Em 1673 o alquimista Johann Conrad Dippel nasceu no Castelo de Frankenstein. Dippel criou um óleo de origem animal, conhecido como Óleo de Dipple  que supostamente seria o filtro da vida. Mas que na verdade, por conta do cheiro forte estava mais para repelente de insetos.

Veja também: Tudo o que você precisa saber antes de ir ao Marrocos

Algumas pessoas afirmavam na época que Dippel  desenvolvia pesquisas com cadáveres, na tentativa de trazê-los de volta à vida, e que algumas vezes assinava nos cadáveres o nome “von Frankenstein”, mesmo não sendo descendente da família.

A destruição da torre do Castelo é atribuído a Dippel. Houve uma violenta explosão,  fruto do manuseio de nitroglicerina. O acontecimento causou a sua própria expulsão da região pela população enfurecida.

A criação do personagem

Toda a história um tanto quanto macabra do Castelo de Frankenstein, inspirou a autora inglesa Mary Shelley a escrever o best-seller Frankenstein. Mary esteve na Alemanha no verão de 1816, a passeio com a família e com o poeta Lord Byron. Durante esse período, ela conheceu o castelo e criou a estória que a consagraria como escritora em 1818.

De lá para cá o Frankenstein de Mary Shelley teve sua estória contado em diversos livros, artigos, filmes e até mesmo em séries de Tv.

Visitas ao Castelo de Frankenstein

Para se chegar até o castelo de Frankenstein, nós saímos de Frankfurt com destino a Heidelberg. O castelo fica no caminho. Sobe uma grande colina, até se chegar ao majestoso castelo, que embora em ruínas ainda tem seu charme.

Quando fomos não tinha ninguém por lá. O frio era tanto que parecia estar abandonado, rs. O restaurante e a pequena capela próximo ao Castelo também estavam fechados.

Curiosidades: Alguns casais se casam na capela do castelo de Frankestein. Isso mesmo! E, os casamentos ocorrem geralmente durante a primavera e o verão. Já pensou que demais assistir um casamento por ali? Você já imaginou se casar em um lugar tão lendário?

Chegando no Castelo do Frank

Além da vista maravilhosa lá de cima da colina, ainda é possível fazer um percurso pela Natureza num parque natural diante da entrada do Castelo, seguindo um mapa. Eu fiquei muito curiosa para fazer a trilha, mas não tínhamos muito tempo e acabamos optando por não fazer. Mas se eu puder te dar um conselho: Faça! A paisagem e o contato com a natureza é demais de lindo por lá!

Capela e entrada do Castelo

Quanto custa?

A entrada para o Castelo de Frankenstein custa um euro! O horário de funcionamento é de domingo a domingo das 10 horas da manhã até as 22 horas. No entanto não há ninguém para cobrar o ingresso, a não ser uma pequena máquina, que de tão pequena e um tanto quanto enferrujada, pode passar despercebida logo na entrada do castelo. Ninguém incomoda. Ninguém cobra. Nunca. Nem os fantasmas. Nem o Frank.

Vista para a floresta, do patio do Castelo.

Amanda Saueia

Brasileira. Geminiana. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Amanda Saueia

Brasileira. Geminiana. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.