Marrocos: Conheça as cidades imperiais

Curtume de Fès, Marrocos

Quando pensamos em ir ao Marrocos uma das primeiras perguntas que nos fazemos,  logo depois de Qual deserto conhecer por lá. É: O que é uma cidade imperial? O que difere essas cidades das demais? Continua nesse texto que você vai entender tudo sobre elas!

Marrocos, um reino árabe

Marrocos é um reino antigo. Esteve sob a influência de Roma e Cartago. Mas, sua origem é berbere, árabe e africana.

É o único país árabe que não caiu no poder dos otomanos. A língua oficial do país é o francês. No entanto ainda se falam  árabe e berbere. Esse último no Norte e na região do Atlas.

Veja também: Marrocos: Roteiro completo nesse fascinante país

Cidades Imperiais

Cidades imperiais são as cidades que foram capitais das antigas dinastias desse reino árabe no norte da África. Descobrir as cidades imperiais marroquinas é poder mergulhar nessa cultura milenar, nas cores e sons dos souks. Se deslumbrar com as famosas medinas e voltar com a bagagem cheia  de histórias para contar, rs!

Veja também: O que são as medinas no Marrocos?

Almedina ou medina é a parte histórica de diversas cidades antigas. As cidades antigas eram muradas por conta das guerras e das diversas invasões. Cada bairro da medina conta com um enorme portão, que era serrado quase que a sete chaves para proteção das cidades muradas. Hoje em dia estes portões permanecem por lá, no entanto ficam sempre abertos. Em árabe moderno, a palavra medina significa simplesmente  ” antiga cidade”.

Existem quatro cidades imperiais no Marrocos: Fèz, Marrakesh, Rabat e Meknès. E nós tivemos a oportunidade de em janeiro de 2018 retornar ao Marrocos com a Siroco Tours e conhecer todas elas! E o que posso dizer é que foi uma das experiências mais incríveis, poder voltar a esse país encantador e conhecer o verdadeiro Marrocos com paixão!

As cidades imperiais são cheias de histórias milenares. E a Siroco Tours teve o cuidado de nos presentear com guias locais escolhidos a dedo para nos mostrar cada cidade imperial do Marrocos!

Mas agora que você já sabe quais são as cidades imperiais e o porque desse termo para essas quatro cidades marroquinas. Gostaria que você conhece-se um pouco mais de cada uma delas, então vamos começar?

Fès ou Fèz?

A primeira pergunta que fiz, quando cheguei à cidade foi:  A forma correta da escrita é Fès ou Fèz?! Os franceses escrevem ‘Fès’, e os americanos ‘Fèz’. Como a influência francesa é enorme no Marrocos, vamos usar a palavra Fès, mas não se preocupe, os dois jeitos estão corretos.

Cedo na medina de Fès, tudo ainda estava fechado.

Fès é o coração do Marrocos! Já parou para pensar que toda vez que alguém fala ou pensa sobre o Marrocos, a primeira coisa que vem a cabeça é Fès? Por isso, na minha opinião deve ser visitada por toda pessoa que vá ao Marrocos, tipo obrigatório, rs!

A cidade de Fès

A cidade tem três partes principais e distintas: Fès el Bali (Fez, a Velha), Fès el Jdid (Fès a Nova) ou Ville Nouvelle (cidade nova). A primeira é a medina, a segunda foi projetada e construída pelos franceses durante o período colonial, e a terceira é constituída pelo complexo do palácio real.

 

 

Fès é a mais antiga das cidades imperiais, é a terceira cidade islâmica mais importante do mundo e conta com cerca de 785 mesquitas. A cidade murada também é a maior e mais antiga medina do mundo! E não é a toa que a medina de Fès é patrimônio mundial da humanidade pela Unesco desde 1981. Com quase 10.000 ruas estreitas e becos repletos de pessoas, música, aromas, e cores. Fès é sem sombra de dúvidas uma viagem inesquecível pelo tempo!

 

 

Fès me encantou tanto, mais tanto que eu vou fazer um post só para ela! Então não vou contar muitos detalhes por aqui (ainda!) rs.

Marrakesh

Marraquexe é uma cidade do centro-sudoeste de Marrocos, situada ao norte da cordilheira do Alto Atlas. Conhecida como a “cidade vermelha”, Marraquexe ou Marrakesh é a quarta maior cidade do país. E não por menos é conhecida como a capital turística do Marrocos.

Um dos nossos destinos queridinhos do país, Marrakesh é cheia de cores, cheiros, e muita muita gente! O artesanato ocupa uma parte significativa na cidade e a sua produção destina-se principalmente aos turistas. É, digamos assim o Rio de Janeiro do Marrocos.


O que fazer em Marrakesh?

Sem sombra de dúvida, a principal atração de Marrakesh é a famosa praça Jama El Fna! Você deve ir tanto de dia quanto de noite. A magia do lugar é super diferente nesses dois períodos. Durante o dia aproveite para tomar diversas vezes o maravilhoso e autêntico suco de laranja! Juro que é o melhor do muuundo inteiro!! Não existe nada que se compare as laranjas marroquinas!!

Tomando o melhor suco de laranja do mundo na praça Jama El Fna, em Marrakesh

Aproveite o dia para ver os hipnotizadores de serpentes e fazer umas comprinhas por ali! E ah, não se esqueça de negociar sempre! E não se preocupe, eles amam essa arte da negociação.

Volte para a praça no período da noite. Se jogue nas barracas locais que se armam no centro da praça! Não tenha medo! Tudo é muito simples e aquela loucura de Marrakesh, mas a comida é deliciosa e super barata! Algo em torno de 30 dirhans para 5 espetinhos de carneiro!

Se puder, se hospede num riad dentro da medina! Nosso riad foi escolhido a dedo pela nossa agência, e nos encantou! Se hospedar dentro da medina é um verdadeiro presente! Super autêntico e você fica totalmente imerso na cultura marroquina.

Não deixe de conhecer o Palais Bahia e também o Jardim Majorelle! E ah, aproveite para fazer um delicioso Hamman! Quer saber em detalhes tudo o que fizemos em Marrakesh? Não deixe de conferir tudo aqui!

Interior de um dos jardins do Palais Bahia, em Marrakesh.
Pátio dentro do Palais Bahia onde ficavam as outras esposas do Abu Bou Ahme.

Rabat

Rabat é a capital administrativa e política do reino do Marrocos, seu nome significa “Lugar fortificado” em berbere. A segunda maior cidade do país consta com aproximadamente 1,6 milhões de habitantes.

Rabat é a sede do governo, da administração geral e dos ministérios. A cidade conta também com o Palácio Real.

O que fazer em Rabat?

Chegamos ao Marrocos por Casablanca e partimos para Rabat! Como já era de noitinha, fomos direto ao nosso Riad

Fotos do interior do nosso Riad em Rabat

Riads são antigas casas marroquinas que foram transformados em hotelaria para receber hóspedes dos quatro cantos do mundo! São extremamente autênticos, lindos, muitos deles extremamente luxuosos e o melhor: se hospedando em um Riad você literalmente emerge na cultura local! É um verdadeiro paraíso cultural!!

Rabat é uma cidade que praticamente se divide em duas. Há a parte moderna com metrôs, centros comerciais, salas de espetáculos… e há a parte antiga. Como somos fascinados pela parte mais antiga do Marrocos e toda sua cultura milenar não perdemos tempo e mergulharmos nessa história!

Kasbah des Oudaias

Foi o primeiro ponto turístico de nossa visita pela capital marroquina. Com ruelas de casas em azul e branco, Kasbah des Oudaias é uma antiga Fortaleza! Através de suas ruas com casas antigas, mosaicos, portas e portões imponentes parece que se está entrando em um cenário de filme, tamanha beleza do lugar!

Em uma das ruelas de Kasbah des Oudaias em Rabat.

Kasbah significa fortaleza, e como várias das cidades antigas do Marrocos, eram fortalezas muradas com muros enormes e portões imponentes.

O Kasbah des Oudaias funcionou como o bairro dos piratas  de 1627 a 1829. Os piratas eram patrocinados pelo imperador Moulay Ismail. E as cores azuis e branco das casas foi inspiração dos piratas tanto pelo mar, quanto pelas suas casas em Córdoba, na Espanha.

E falando em mar, o Kasbah des Oudaias tem uma vista muito bonita da praia. Realmente um lugar muito especial!

Bairro de Hassan e Mausoléu Mohamed V

Saindo de Kasbah des Oudaias seguimos em direção ao bairro de Hassan, onde se encontra o mausoléu  Mohamed V. Lá estão os túmulos do rei marroquino e de seus dois filhos, o Rei Hassan II e o Príncipe Moulay Abdallah.

Torre Hassan

A  primeira mesquita que começou a ser construída em 1196, no entanto ficou inacabada contando apenas com 44 metros e ficou conhecida como a Torre Hassan. Mas logo em frente, foi construída uma outra que é utilizada por todos os muçulmanos.

Meknès

Patrimônio Mundial da UNESCO e repleta de belas construções e palácios grandiosos, Meknès é bem mais tranquila de turistas por ser relativamente desconhecida pela maioria deles.

Quando o sultão Moulay Ismail decidiu que ela seria a nova capital do Marrocos, entre 1672 e 1727 muitos palácios, mesquitas e grandiosos monumentos começaram a ser construídos na cidade. As construções da cidade têm um pouco do estilo europeu, já que o sultão admirava a corte francesa e os palácios de Luís XIV. Por esse motivo, Meknès é considerada a Versailles do Marrocos.

Estábulo de uma Meknès antiga

É uma das cidades mais importantes historicamente para o Marrocos. A cidade está rodeada por  uma enorme muralha, construída há mais de 350 anos. Abriga o  Palácio Real de Meknès , o “Dar el Makhzen’’.e uma cidadela do Califado Almóada. Ao norte, encontram-se as ruínas romanas de Volubilis e a cidade santa de Moulay-Idriss, fundada em 788.

O que fazer em Meknès?

Primeiro não deixe de conhecer a Medina. É possível andar tranquilamente pelas ruelas antigas da cidade murada. Nós chegamos a Meknès de carro e nosso guia local já nos esperava e com muito conhecimento e paciência nos explicou primeiramente sobre a cidade murada e toda sua importância histórica para o país.

Nós em uma das entradas da Medina de Meknès.

Andamos pelas ruas de uma medina antiga e conhecemos alguns dos pontos de interesse turístico da cidade, sendo eles:

Bab Mansour é o maior e mais bonito portão de Meknès. Bab significa “porta” em árabe. Ele fica de frente para a Place Hedim e foi construído no começo do século 18.

Um dos portões mais bonitos da medina, em Mekn

A principal praça principal da antiga cidade se chama Place Hedim, e é onde estão  localizadas as comidas de rua, apresentações e pequenos expositores. Lembra muito a famosa praça Jama el Fna em Marrakesh!

Existe também uma antiga escola de alcorão toda decorada com lindos azulejos. Seu nome é Medersa Bou Inania e ela é tão bonita e tão rica de detalhes quanto a de Fès, que conhecemos também.

Veja também: Como acumular milhas aéreas: Guia básico

Ainda na parte murada da cidade, tem-se a maior e mais antiga mesquita da cidade, a grandiosa Al Masjid Al Adam. Mas infelizmente só podemos observar do lado de fora já que a entrada é proibida para não-muçulmanos.

Você sabia que a única Mesquita do Marrocos onde é permitida a entrada de não-muçulmanos é a Hassan II que fica em  Casablanca?

Marrocos é com certeza um país que vale inúmeras visitas! A cada vez é uma história diferente, uma emoção e um aprendizado diferente. Podemos dizer que Marrocos é um dos nossos queridinhos e com certeza escolher uma boa agência faz toda a diferença! E nós do blog, indicamos de olhos fechados mais uma vez a Siroco tours! Que nos deu a oportunidade de conhecermos um Marrocos genuíno e com muita paixão! E ah, não deixem de nos contar a experiência de vocês no país! Tenho certeza que será a mais especial possível, e eu já estou curiosa para saber! 😀

Amanda Saueia

Brasileira. Geminiana. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Amanda Saueia

Brasileira. Geminiana. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

Deixe um comentário