O que são as medinas no Marrocos?

Cortume na medina de Fez

Antes da minha primeira viagem pro Marrocos em 2015, lia muito sobre medina, souks nas medinas, onde se hospedar: medina ou parte nova, e confesso que não li nada sobre o que é exatamente!

Se você tem essa dúvida também, nesse post espero te ajudar a encontrar as respostas.

A convite da Siroco Tours, estivemos no Marrocos agorinha, em janeiro de 2018.

Quando estávamos decidindo as sugestões de roteiros e lugares para nos hospedarmos, uma coisa era certa, onde fosse possível, queríamos ficar dentro da Medina! Mas isso nem sempre é viável, dependendo da cidade e dos lugares para se hospedar. Mas vamos lá.

Afinal, o que é uma medina?

Caminhando na medina de Meknès

Medinas são as antigas cidades muradas. Antigamente por conta das guerras, e diversas invasões foram criadas as medinas, que eram fortificações construídas na cidade para que protegesse a população das invasões. Cada bairro da medina conta com um portão de transição que era sempre trancado para proteção.

Um dos portões de transição da medina de Fez

Curiosidades: Na tradicional porta árabe dentro das medidas, existem duas maçanetas. A da porta maior, que fazia o barulho ser mais alto era para avisar a esposa que o marido estava com visitas, logo ela deveria sair para abrir a porta com o véu. Já a menor, o som produzido dentro da casa era menor, então ela sabia que ele estava sozinho e poderia abrir a porta sem o véu.

Atualmente esses portões continuam espalhados por entre cada bairro da medina, mas não ficam mais trancados a sete chaves.. e fora da medina nas chamadas ”cidades novas” há toda uma nova construção de uma nova cidade.

Principal portão de acesso a medina de Meknès
Um dos portões de acesso a medina de Meknès

É uma loucura (no bom sentido), andar por elas pois, são ruelas, becos e ruas sem saída que tornam a medina um labirinto, rs. Confesso que no início a gente sempre fica um pouco confuso e apreensivo, mas é muito bom se “perder” nessas ruazinhas, vendo tudo o que elas têm a oferecer, principalmente os seus souks.

Souks são os mercados que ficam na medina 😉

No centro das medinas, geralmente há uma praça principal, que saem várias ruas e avenidas que levam para a parte externa, como também interna das muralhas. Alem de claro, haver uma mesquita, geralmente a principal.

Antigamente nas medinas só os ricos moravam em seus belos casarões (riads), que geralmente eram comerciantes. Hoje em dia não é mais assim, os ricos na maioria das vezes moram fora das meninas, na parte nova das cidades.

As medinas a olho nu, parecem ser totalmente desorganizadas, uma loucura! Mas não deixe se enganar pelo que vê, pois elas são dividas por áreas comerciais, onde ficam os souks, área de transição, onde ficam residências e algumas lojas e a área exclusivamente residencial. Tudo é muito organizado por lá!

As medinas são “protegidas” por uma grande extensão de muralhas, que antigamente eram protegidas por torres de vigia e portões. Hoje as muralhas permanecem, porém os portões são totalmente abertos servindo de acesso para entrar e sair delas.

Onde eu posso encontrar uma medina no Marrocos?

Pausa pra fotinha na Mesquita em Marrakech

As medinas mais conhecidas no Marrocos são as de Fez, Marrakech, Rabat, El Jadida, Essaouira, Casablanca, Chefchaouen, Asilah, Taroudant e Meknès.

Na viagem que fizemos agora em janeiro/2018, conhecemos as medinas de Fez, Marrakech, Chefchaouen e Meknès.

A medina de Chefchaouen é simplesmente linda! Uma imensidão azul e branca.

Estivemos em Rabat e em Casablanca, porém não visitamos as medinas dessas cidades, por uma questão cronológica do nosso roteiro. 😀

Posso me hospedar dentro da medina?

Sim, claro! Há lindos riads e hotéis dentro das medinas. Nós ficamos hospedados em riads maravilhosos nas medinas de Fez, de Marrakech e de Mècknes.

Nosso Riad em Marrakech

E aí, agora que você sabe o que é uma medina, que tal organizar sua próxima viagem prara conhecer ou voltar ao Marrocos?

Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Rodrigo Coelho

Advogado. Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes. Viajante compulsivo.

Deixe um comentário