Viajando sozinha pela Índia – Guia indispensável para mulheres viajantes

Exótica, bela e caótica, a Índia pode ser um lugar bem perigoso para se viajar. A falta de higiene, água contaminada e o lixo já fazem do lugar uma ameaça constante de se contrair uma doença ou mesmo infecção e se você for mulher, decidir viajar sozinha pela Índia pode ser uma aventura um pouco mais complicada. No entanto eu quero te dar umas dicas essenciais de sobrevivência no País de Gandhi.

Eu não sou a melhor viajante do mundo, verdade seja dita. Sei disso porque já viajei muito, e conheci durante esses anos todos, pessoas que são ótimas viajantes. Há vários tipos delas. Viajantes que são tão resistentes que poderiam facilmente beber água de uma sarjeta em Calcutá e não passar mal. Conheço viajantes que absorvem idiomas com uma facilidade e qualidade sem igual, enquanto eu consigo apenas absorver doenças infecciosas. Sabe aqueles viajantes que poderiam inclusive serem confundidos com pessoas locais? Eles parecem ter a altura e biotipo certo para cada País. Há uns que poderiam facilmente serem passados como turcos em Istambul. No México, com um pouco de espanhol já podemos dizer que passariam por mexicanos e assim sucessivamente. Eu não! Infelizmente eu não tenho essas qualidades, primeiro porque eu não passo despercebida. Baixa, com a pele rosada de tão branca e cabelos escuros eu sou tão camaleoa como um flamingo.

Além disso, nunca aprendi a dar uma expressão diferente do meu sentimento interno para o meu rosto. Quando eu não faço a mínima ideia do que eu estou fazendo, é exatamente isso que eu vou mostrar. Se estou perdida, o que é constante diga-se de passagem, vou ter cara de perdida. Se estou triste, alegre ou cansada adivinhem só o que mostrarei? Meu rosto é um transmissor transparente de cada pensamento meu. Eu não quero colocar caraminholas na sua cabeça e por isso mesmo vou me abster de te contar minhas experiências, digamos assim não tão agradáveis que já infringiram meu sistema psicológico e digestivo. Talvez quem sabe um dia, depois de uma boa dose de chá eu te conte. Mesmo assim, apesar de tudo, viajar é a grande paixão da minha vida! E digo isso com todos os pontos de exclamação possíveis, inclusive aqueles que eu jamais poderia colocar aqui. Pra mim, viajar compensa qualquer sacrifício, e é qualquer mesmo!

Apesar de ser inconstante com minhas escolhas de vida, sou leal e constante no meu amor por viagens, de um modo como nem sempre fui leal e constante com minhas outras paixões. Apesar de ser um ”flamingo” tenho meus talentos também. Sou paciente. Sei fazer uma mala pequena caso eu precise. Consigo facilmente viajar dias com apenas uma mala de cabine, se isso for necessário. Mas meu maior talento é que eu consigo fazer amizade com qualquer pessoa quando estou viajando. E isso, foi uma das coisas mais difíceis de não se fazer pela Índia. Pelo menos não da maneira que seria natural pra mim, curiosa por nascença tive que deixar isso um pouco de lado durante essa viagem, mas já explico o porque.

Mulher na Índia

A pergunta mais frequente desde quando anunciei que iria para a Índia é: Mas você vai sozinha? Você não tem medo? Como foi quando estava por lá? Mulheres podem viajar sozinha para a Índia? Mas e os estupros, eles são reais? E os assédios?

Estamos falando de um País com alto índice de violência contra mulheres. Na Índia elas são vitoriosas simplesmente pelo fato de nascerem, devido ao grande número de abortos.  É uma cultura machista e patriarcal, e ainda tem o peso da religião e tradições onde até hoje o homem é visto como superior.

Para mulheres de castas mais baixas, isso ainda é pior. Se você não sabe do que eu to falando, clica aqui , elas são vitimas frequentes de discriminalização e violência. A cultura do medo, do estupro e da violência imperam no País. Já que as leis são falhas, e elas não tem escolha a não ser sofrerem caladas. Claro que tudo isso me dói, não só pelo fato de ser humano, mas por ser mulher. E mesmo estando amparada por não ser de lá, e não estar viajando sozinha, o medo foi sim, existente. Infelizmente é triste dizer isso, mas me senti tão segura na Índia, como me sinto no Brasil. Ou seja, eu andava com medo e receosa, principalmente se saísse a noite, embora estivesse sempre com os meninos.

Por isso decidi criar um guia, para ajudar você a se virar sozinha em qualquer perrengue por lá!

Use roupas comportadas

Eu sei, é um absurdo eu ter que te falar isso em pleno século XXI! Particularmente me entristece ter que escrever um absurdo desses. Mas acredite, isso vai te livrar de uma  boa série de problemas.

Estávamos tentando escolher nossa roupa indiana, rs.

Vista-se da forma mais discreta possível! Use calças compridas, camisetas com mangas, saias abaixo do joelho. Evite roupas justas e decotes. Sabe aquelas calças largas estilo Aladdin? Abuse delas! São mais frescas do que calça jeans, são baratas e são facilmente encontradas em qualquer cidade da Índia. Mas não se iluda! Os indianos vão te olhar de qualquer jeito, fique sempre atenta e caso sinta alguma ameaça, procure uma autoridade.

Com a calça estilo aladdin que comprei em Jaipur.

Tenha sempre um lenço

Sabe aqueles lenços práticos e leves? Tenha sempre um na mochila ou bolsa. As vezes será necessário você cobrir os ombros para entrar em algum templo, ou mesmo usa-los quando não se sentir muito confortável.

Evite sair sozinha

Essa é a regra número um! Evite sair sozinha, principalmente durante a noite. Isso pode ser bem irritante, ainda mais pra quem esta acostumada a viajar sozinha, mas é essencial que você não se esqueça disso! As mulheres são bem reprimidas por lá, e é raridade elas andarem sozinhas. Se puder viaje para a Índia com algum amigo, e diga que vocês são irmãos ou casados. Me perguntavam isso sempre! Eles mal me cumprimentavam em lojas, mercados e etc e já vinha a pergunta. Quando eu dizia que os meninos eram apenas meus amigos, eles tendiam a serem desrespeitosos. No entanto, quando eu comecei a dizer que o Rodrigo era meu irmão, eles começaram a me respeitar mais.

Não fale com estranhos

Aquela velha regrinha de mãe vale muito na Índia. Pra mim, como boa curiosa que sou, é bem difícil não poder conversar com estranhos quando eu estou viajando. Afinal, eu sempre quero saber tudo! Como é a cultura, a vida, a rotina, a família daquela pessoa que eu conheci por acaso. Mas se você estiver sozinha, evite falar com estranhos. E se algum homem tentar puxar assunto com você e você se sentir insegura não hesite em deixa-lo falando sozinho.

Cuidado com as fotos

Muitas pessoas podem pedir para tirar fotos com você inclusive mulheres, famílias e crianças. Afinal nós somos o diferente. Eu não via problema na maioria dos casos. Mas se eu sentia o mínimo de falta de respeito eu falava não, sem medo de parecer mal educada, e saia andando.

O calor era intenso, e nesse dia sai de short. Mesmo sempre com os meninos ao meu lado, o assédio era grande.

Um dia estávamos numa loja, e o dono da loja começou a tirar fotos minhas sem a minha autorização. Eu comecei a me esconder atrás dos meninos, e ele começou a dar voltas para continuar tirando as fotos, no maior descaramento. Eu sai de trás do Henrique e coloquei a minha mão na frente do celular dele dizendo que eu não autorizava aquilo. Ele ficou sem graça, acredito que por conta dos outros homens na loja (sabem como é, a masculinidade é bem frágil!) e entrou pra dentro. Portanto não hesite em se impor!

Visite lugares turísticos

No triângulo dourado (Agra, Délhi e Jaipur) por exemplo, as chances de você não parecer de outro mundo são maiores, devido ao maior número de turistas que visitam essas cidades. Em Agra, quando estávamos saindo do Taj Mahal, vários vendedores falavam com a gente em espanhol. Além de estarem mais acostumados com turistas, cidades como Jaipur e Agra vivem basicamente disso, ou seja, eles vão fazer de tudo para que sua experiência seja a melhor possível.

Já em Pushkar por não ser muito conhecida, e consequentemente não ter muito estrangeiro, era só parar em algum templo para eles ficarem parados e me observado como se eu fosse literalmente de outro mundo, rs. Um dos guias me disse que era por conta da pele branca. Na maioria das vezes eu não me sentia intimidada, mas sempre ficava atenta.

Evite multidões

Eu falo muito sério sobre isso. Multidões já devem ser evitadas em qualquer parte do mundo, certo? Na Índia esse cuidado é redobrado. Nem preciso te explicar muito o porque não é mesmo? Você já deve imaginar que essa combinação: homens machistas, criados em uma sociedade patriarcal e poucas mulheres nas multidões não vai dar bom pra você.

Proteja-se nos transportes

Evite entrar em qualquer um deles desacompanhada. Isso vale para tuk tuk e táxi também. Se puder peça o táxi direto do seu hotel. Se você sair de um restaurante durante a noite, peça para alguém que trabalha lá te levar até o carro. Anote a placa, e tente avisar alguém do seu percurso. Nos trens urbanos e metrôs utilize sempre os vagões reservados para mulheres. Se não tiver, procure sentar ou ficar perto de uma mulher. E mais uma vez, não hesite em reagir se um homem for abusivo com você.

Se for pegar algum trem para viajar, evite chegar na outra cidade durante a madrugada. Pague mais caro para viajar numa categoria de classe 3AC ou superior. Improvise sua janela com um lençol caso não tenha cortina.

Be strong

Nós, mulheres somos vistas como alvos fáceis e vulneráveis. Facilmente um homem vai tentar ser abusivo conosco, mas seja confiante! Muitas vezes você não vai poder ser educada, em algumas situações você terá que deixar o sorriso de lado e exigir que a pessoa pare ou se retire. Inclusive ameace ou mesmo chame a policia se preciso for!

Por último, procure viajar com algum amigo ou irmão. No entanto, se não puder, vá com alguma amiga e tome o cuidado redobrado. Tenha sempre internet no seu celular. O chip com o 3G custa em torno de 250 rúpias e vai durar o mês todo. Use a tecnologia a seu favor! Veja endereços no mapas dos lugares onde que ir para ter certeza de que não estará sendo levada para nenhum outro lugar. Tenha o número da policia fácil, caso precise utilizar. No mais aproveite! Tenho certeza que será uma experiência única na sua vida! É só seguir as minhas dicas que você vai se sentir segura e sua viagem vai ser incrível! Eu garanto que vai valer a pena! Se eu deixei faltar alguma coisa, ou se você quiser conversar mais comigo a respeito, comenta aqui pra mim! Vou adorar esse feedback! Um beijo 😀

Amanda Saueia

Brasileira. Geminiana. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Amanda Saueia

Brasileira. Geminiana. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

4 pensamentos

  1. Viajar sozinha então nem pensar? Apesar do título você estava acompanhada por dois homens.

    1. Então Ana, eu aconselho a não ir sozinha para lá. No entanto caso decida ir, tomar essas precauções que eu escrevi no texto são primordiais!
      Me conta o que decidiu 😀 beijos e boa viagem!

Deixe um comentário