Agra: Conhecendo o Taj Mahal

Agra é uma cidade situada no estado de Uttar Pradesh, na Índia e é lá, nas margens do rio Yamuna, que fica o famoso Taj Mahal, uma das sete maravilhas do mundo moderno. Nesse post vou contar como foi nossa experiência visitando um dos monumentos mais famosos do mundo!  🙂

Com cerca de 1.700.000 habitantes, Agra foi fundada em 1566 pelo sultão Akbar e está situada a 204 km de distância de Nova Délhi, a capital onde fica um dos principais aeroportos de chegada e partida de outros países da Índia.

Informações básicas

  • Fuso horário: + 8:30 do horário de Brasília e +9:30 horário de Campo Grande, minha cidade;
  • Línguas: Hindi e Inglês são as línguas mais faladas, embora haja diversos dialetos;
  • Saúde: Para visitar a Índia, é necessário a certificação internacional contra febre amarela;
  • Melhor época para visitar: Estivemos na cidade em abril e estava muito quente! Para ser exato, no dia que estivemos lá a temperatura era de 50°C. Apesar de não haver exatamente uma melhor época para se visitar Agra, nosso guia nos disse que a melhor época, na opinião dele, para ir à Índia é outubro, pois a temperatura é amena e não há chuvas.

Como chegar

Os meios de transporte mais comuns para se chegar em Agra são o carro e o trem, mas é possível também ir de avião.

De carro há duas opções, sendo a mais demorada pela estrada NH 2, que passa por vários vilarejos e cidadelas, levando pelo menos 5 horas sem nenhuma parada.

Contudo, dependendo do seu tempo e disposição, nesse trajeto é possível conhecer a cidade de Mathura onde nasceu Krishna, tendo como principais atrações o Templo Sri Krishna Janmabhoomi e Ghats.

É possível também conhecer a cidade de Sikandra, onde fica o Mausoléu de Akbar.

Como chegamos?

No nosso caso, não tínhamos muito tempo, pois chegaríamos no meio da tarde em Agra e no dia seguinte, após a visita ao Taj Mahal, seguiríamos a Jaipur.

Então fomos pela via mais rápida, que levou aproximadamente 2 horas, em 208 quilometros percorridos.

Fomos de carro pela agência que compramos o pacote (Pelo valor de $275,00)  – No pacote estava incluso as cidades: Nova Délhi, Agra, Jaipur e Pushkar, com transporte entre e nelas, alguns tickets de passeios como por exemplo o ticket de entrada para o Taj Mahal e os hotéis. Eu sei que parece ser um valor alto, mas pelo pouco tempo que tínhamos no País e pela comodidade, acabamos fechando.

Mas se você ficou curioso e quer saber porque decidimos abandonar as viagens de trem pela Índia clica nesse link Tudo o que você precisa saber antes de viajar para a Índia porque o Ike já contou tudo 😀

Não reservei antes… e agora?

Mas não se preocupe caso não consiga fazer reservas com antecedência, pois com certeza basta andar algumas quadras em Nova Délhi, para que alguém tente te vender passeios, indicar agências, etc., contudo, se tiver a opção de fazer antes, faça, pois conseguirá negociar melhor os preços.

É totalmente possível fazer um “bate e volta” de Nova Délhi a Agra de carro, ou até mesmo de trem. Dependendo do roteiro, sair de Nova Délhi, parar em Agra e seguir pra Jaipur, ou outras cidades, pode ser uma boa opção.

Avião?

De avião,  tem voos operados pela Air India, pelo valor de R$ 107,00 aproximadamente o trecho, porém eu não acho que seja uma boa opção, pois é mais demorado e mais caro.

Já de trem, pelas cotações que fizemos na época, as passagens variavam de 1.100 a 1.800 rúpias o trecho, o que seria uma opção viável inicialmente, no entanto desistimos por conta do tempo e logística.

O que fazer por lá

Agra é uma cidade que recebe muitos turístas porque lá fica o fascinante Taj Mahal, que é o mausoléu mais conhecido do país, classificado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade e como eu já disse anteriormente, é uma das novas Sete Maravilhas do Mundo Moderno.

Contudo caso tenha um pouco mais de tempo, há outros dois pontos turísticos na cidade, que são o Baby Taj (Tomb of I’timād-ud-Daulah) e o Forte de Agra, também referido como Lal Qila e Forte Vermelho.

Logo que chegamos pela tarde em Agra, fomos para o Baby Taj, que leva esse nome porque a construção lembra um pouco o Taj Mahal. Visite caso tenha tempo, pois acredito que não seja uma atração imperdível, para não dizer que é um pouco sem graça.

Baby Taj

O Baby Taj foi construído cerca de cinco anos antes do Taj Mahal, para guardar a tumba do avô de Mumtaz Mahal. A entrada custa 200 rúpias, o que equivale a mais ou menos R$ 12,50.

Nosso guia nos disse que a melhor hora para visitar o Forte de Agra é no por do sol, assim como o melhor horário para visitar o Taj Mahal, é pela manhã bem cedo, devido a menor quantidade de pessoas no local, então decidimos seguir os seus conselhos.

Forte Vermelho

Então decidimos, após sair do Baby Taj, ir ao Forte Vermelho. Pagamos 500 rúpias,  para entrar, o que dá aproximadamente R$ 25,00. Nos sugeriram um guia que sabia bem a história do lugar, então pagamos mais 300 rúpias para ele, R$ 18,75.

Dica: Na Índia vão te oferecer guias extras o tempo todo! Eles estarão sempre bem dispostos a te contar tudo sobre determinado lugar. No entanto, lembre-se que esse serviço não é de graça, e caso você deseje mesmo assim solicitar, tente negociar o preço antes para não acabar tendo surpresas no final do seu tour.

O forte fica a 2,5 quilômetros do Taj Mahal, sendo possível avistar o monumento de lá. O local foi uma cidade-palácio fortificada, onde foi habitado por alguns imperadores, inclusive pelo Shah Jahan, o famoso imperador mongol que construiu o Taj Mahal. O forte Vermelho também é classificado como Património Mundial da Humanidade pela Unesco.

Forte Vermelho e sua vista para o Taj Mahal

Algumas áreas do Forte Vermelho têm vista para o Taj Mahal e, era de lá que o imperador Shah Jahan ficava admirando, durante várias vezes ao dia o monumento onde estava sepultada sua amada Mumtaz Mahal.

Depois que terminamos o passeio no Forte, nós fomos para uma joalheria chamada Sanskriti´s Imperial Gems, que fica na A 11, Taj nagri, phase 2. Vale a pena conhecer, mas as peças não são absurdamente baratas não! Conduto se você barganhar, consegue um preço ótimo numa prata indiana 😀

Voltamos pro hotel e nos preparamos para o dia seguinte, afinal acordaríamos antes das 06:00 horas da manhã, para estar no Taj Mahal no máximo as 07:30 da manhã.

Conhecendo o Taj Mahal

Chegamos ao Taj Mahal e ele é simplesmente lindo! A impressão que eu tive era de que estava vivendo uma cena de filme. 🙂 O mausoléu foi construído entre 1632 e 1653, por aproximadamente 20 mil homens, trazidos de várias cidades do Oriente, e do mundo! E o monumento é feito em mármore branco e cheio de pedras semipreciosas, como lápis lazúli e outras. Sua cúpula foi costurada com fios de ouro! E todos os detalhes no mármore foram feitos artesanalmente pelos artistas.

A maior prova de amor do mundo!

A história do lugar é bem interessante: a maior prova de amor do mundo foi feita a mando do imperador Shah Jahan, em memória de sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam, a quem chamava carinhosamente de Mumtaz Mahal, que significa “A jóia do Palácio”.

Embora fosse a segunda esposa, a princesa persa era a queridinha e mais importante delas. Sempre dava valiosos conselhos ao imperador, principalmente em relação a guerras e combates. Faleceu após dar à luz o 14º filho deles. Shah Jahan dizem, ficou desolado, e o mundo perdeu o sentido.

E para cumprir a promessa feita para sua amada, construiu o maior mausoléu que se tem notícias e nunca mais se casou novamente. E assim foi construído o Taj Mahal, para ser o repouso de Mumtaz Mahal aos pés do rio Yamuna, que corta toda a cidade de Agra.

Curiosidades sobre o Mausoléu

O Taj Mahal foi construído para ser perfeitamente simétrico, com a tumba da princesa persa ao centro. A ideia inicial do imperador era construir para ele do outro lado do rio um mausoléu semelhante, contudo no mármore preto. No entanto, quando foi morto por um de seus filhos, decidiram para poupar tempo, e claro dinheiro coloca-lo ao lado da tumba de Mumtaz Mahal. Sendo essa portanto, a única parte assimétrica do mausoléu inteiro!

Dizem ainda que após o término da construção, o imperador mandou cortar a mão de alguns dos artistas responsáveis pela construção, como também mandou cegar outros, para que não existisse no mundo nada parecido com o mausoléu de sua amada.

Curiosidades: Embora a tumba de Mumtaz Mahal esteja ao centro, e a do imperador Shah Jahan ali do ladinho, os corpos estão enterrados no subsolo, na mesma direção das tumbas fictícias.

O valor do ingresso é bem salgadinho, 1.000 rúpias, o equivalente a R$ 50,00. Mas vale cada centavo! Afinal, você estará diante de uma das sete maravilhas do mundo moderno e claro, da maior prova de amor do mundo!

Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Deixe um comentário