O melhor de Istambul em 4 dias

Istambul é a maior cidade da Turquia e quarta maior do mundo, tendo parte na Europa e parte na Ásia. Não é dificil de imaginar a quantidade de coisas que tem para fazer lá, né? Tivemos o provilégio de conhecê-la e eu vou contar como foi nesse post.

Istambul

A cidade de Istambul ocupa ambas as margens do estreito do Bósforo e do norte do mar de Mármara, que separam a Ásia da Europa, fazendo com que ela seja a única cidade que ocupa dois continentes.

O que eu posso adiantar, é que Istambul é uma cidade linda, limpa e organizada, com uma rica e extensa história, nos seus inúmeros monumentos. O charme da cidade fica a cargo da mistura única de Ocidente e Oriente, não só pela localização entre dois continentes, mas também da cultura dos seus habitantes de hoje e do passado. É normal estar andando pela cidade e se sentir em uma metrópole europeia e asiática, tendo muitas vezes a sensação, em alguns pontos da cidade de que continuam iguais há centenas de anos.

Comprando as passagens

Na época compramos as passagens de ida e volta de Zurique/Suíça a Istambul/Turquia, pelo valor de R$ 483,00, ida e volta, no site da CVC, da companhia Turkish Airlines, que ao meu ver é uma das melhores no quesito conforto, atendimento e serviço de bordo.

Geralmente é melhor comprar as passagens diretamente no site da companhia aérea, pois se evita o gasto extra com as taxas cobradas pelas agências, contudo, nesse caso em especial, como se tratava de trechos fora do Brasil, a cobrança no site da Turkish era feita em dólares, o que geraria o IOF e também ficaríamos reféns da cotação, que na época estava muito instável, compensando dessa forma comprar na CVC, que além de tudo parcelava o valor em até 6 vezes sem juros.

A moeda

Apesar de ser um país com parte na Europa, a moeda utilizada por eles é a Lira Turca, que tem a cotação próxima ao do Real Brasileiro, variando entre R$ 1,22 a R$ 0,91 por Lira.

Na época em que estivemos lá, a cotação estava em R$ 1,22 e hoje R$ 0,91. Uma boa oportunidade para aproveitar a desvalorização da moeda, para dar um pulinho na Turquia, não?

Escolhendo o hotel

Após inúmeras pesquisas, chegamos a conclusão de que o melhor lugar para hospedagem em Istambul é a região de Sultanahmet, onde ficam vários pontos turísticos, mesquitas, basílicas e mercados de especiarias, que amamos!

Escolhemos o Aristocrat Hotel, cuja localização era perfeita, a alguns passos da praça de Sultanahmet que fica entre a Basílica de Santa Sofia  e a Mesquita Azul.

Fizemos a reserva através do hoteis.com, pelo valor de R$ 849,80, quarto triplo, quatro noites. O valor para cada foi de R$ 283,26. Uma média de R$ 70,81 por noite, por pessoa. Barato né?

Roteiro

Dia #1: Chegando em Istambul: jantar no Bósforo

Chegamos ao final da tarde em Istambul, fizemos o chek in no hotel e já nos preparamos para o jantar, pois faríamos um mini cruzeiro no estreito do Bósforo. Reservamos o passeio ainda no Brasil, pelo valor de R$ 235,00 por pessoa, no site da Decolar.com.

Nesse valor estava incluindo o transporte de ida e volta ao hotel, o passeio de barco e o jantar com bebidas ilimitadas.

Chegando no jantar

Ao chegar lá fomos recepcionados pelos dançarinos que já estavam vestidos a caráter. Escolhemos o prato principal, com opções de frango, peixe ou carne. Enquanto esperávamos o jantar, ficamos bebendo vinho no deck do barco e a vista era demais! Foi possível ver os palácios Dolmabahçe e Çiragan, o Chifre de Ouro, o Forte de Rumélia e o famoso Hotel Kempinski na parte do litoral europeu. Atravessamos também a ponte pênsil do Bósforo que é iluminada por luzes que mudam de cores.

Estávamos extasiados com a beleza da noite da cidade e suas luzes, mas era hora de jantarmos. Eu pedi peixe e não gostei muito, porque tinha muita espinha 🙁 . Fora isso, a comida era muito saborosa!

Danças típicas

Finalizamos o jantar e era hora das apresentações, com danças típicas. Começou com uma bela apresentação de dança do ventre, partindo para as danças tradicionais da época do império Otomano e algumas interações com o público.

As apresentações terminaram e de repente começou o palco improvisado virou uma pista de dança, onde os dançarinos já descaracterizados nos convidaram para dançar, até que o barco ancorasse no porto, finalizando uma noite muito agradável.

Dia #2: Day tour

Como não tínhamos uma programação certa para esse dia e, como ficaríamos relativamente por pouco tempo em Istambul, resolvemos fazer um day tour, com uma das várias agências que cercam a praça de Sultanahmet.

Por esse passeio que incluía visita em alguns pontos turísticos da cidade na parte européia, passeio de barco no estreito do Bósforo, visita a um dos mercados de especiarias, almoço no lado asiático e ao final, visita guiada ao Palácio de Dolmabahçe.

Mesquitas

Começamos visitando uma das mesquitas otomanas da cidade, a Mesquita Yeni, situada no bairro de Eminönü. Logo após, fomos ao Bazar das especiarias Mısır Çarşısı (Spice Bazar), que na minha opinião foi o melhor em quesito preço, que visitamos.

Tinha uma enorme variedade de doces, suvenirs, sabonetes, temperos, prata, ouro, couro, louça, roupas e etc. Para se ter uma ideia, comprei um brinco de prata pequeno com a pedra turquesa e alguns brilhantinhos por R$ 98,00 para minha mãe.

Estreito de Bósforo

Saímos de lá e fomos fazer o passeio de barco pelo estreito do Bósforo, só que agora pela manhã. O visual é totalmente diferente e é possível avistar vários pontos da cidade. Se tiver oportunidade, recomendo fazer o passeio de barco pelo estreito do Bósforo pela manhã ou tarde e a noite, como fizemos.

Saímos do estreito e era hora de almoçar. O restaurante escolhido ficava do lado asiático e tinha uma vista linda da cidade.

 

Palácio de Dolmabahçe

Saímos de lá e fomos rumo ao Palácio de Dolmabahçe, que conta com uma arquitetura fantástica, diversas exposições museológicas de grande valor, jardins e vistas privilegiadas sobre toda cidade, inclusive sobre o Bósforo e o mar de Mármara.

Eu havia ouvido falar que os lustres do palácio faziam inveja aos do Palácio de Versalhes e realmente era verdade. O maior lustre de cristal da Boêmia, foi presente da rainha Vitória do Reino Unido e decora o salão central. Ele tem 750 lâmpadas e pesa 4,5 toneladas. Infelizmente não era possível tirar foto lá dentro.

Sultana’s

Já era tardezinha quando terminamos o day tour. Voltamos para o hotel, pois a noite, teríamos um jantar com dança do ventre no Sultana’s, que eu contei a experiência aqui.

Por esse dia de passeio pagamos 45 euros por pessoa, o equivalente a R$ 166,50 atualmente.

Eu gostei, porém é totalmente possível fazer de forma independente esse roteiro o que, com certeza custará bem menos, levando em consideração que a Turquia é bem barata.

Dia #3: Passeando pela cidade, Basílica de Santa Sofia, Mesquita Azul e Palácio de Topkapı

Como estávamos hospedados super perto, começamos nosso dia na Mesquita Azul, também conhecida como Mesquita do Sultão Ahmed. Para as mulheres é necessário o uso do véu e de uma saia longa, que é fornecido pela mesquita. A entrada é gratuita.

Saindo de lá, atravessamos a praça de Sultanahmet e fomos à Basílica de Santa Sofia, conhecida também como Hagia Sophia, que foi construída pelo Império Bizantino para ser a catedral de Constantinopla. O preço da entrada é de 40 Liras Turcas, R$ 36,40 hoje.

Kebabs, Kebabs!

Resolvemos almoçar em um restaurante da região e comer um delicioso kebab, que é feito em um jarro de barro. Eles levam o jarro fechado, fazem toda uma apresentação e partem o jarro ao meio para servir.

Eu amei a culinária turca! Os kebabs, doces, pastas, saladas… humm.

Eu lembro que esse prato custou 19,00 Liras Turcas, o equivalente a R$ 17,29.

Palácio de Topkapi

Ficamos andando na região por um tempo, olhando as lojinhas de suvenirs e de doces, quando resolvemos partir para o Palácio de Topkapı. Topkapı significa “porta do canhão”. O Palácio foi construído por Mehmet II, logo após a conquista de Constantinopla no ano de1453, e foi a residência dos sultões por três séculos. Dá pra imaginar quanta história o lugar abriga, né?

O valor da entrada é 40 Liras Turcas. Caso queira conhecer o Harem e dormitórios, é necessário comprar o ingresso que custa 25 Liras Turcas. Tem outra parte também que é paga a parte, que é o Hagia Irene, pelo valor de 20 Liras Turcas. Caso queira conhecer os três, o valor total é de 85 Liras Turcas, R$ 77,35.

Gastamos meio período por lá e valeu a pena. Voltamos para o hotel, para pegarmos nossas bagagens e irmos para o aeroporto, pois a noite iríamos para Capadócia.

Dias #4 e #5: Capadócia

O quarto dia e o quinto dia da nossa estadia na Turquia foram dedicados a Capadócia e o roteiro completo você pode ver em dois posts, que eu aproveito e deixo o link aqui para facilitar:

No quinto dia à noite, retornamos da Capadócia para Istambul.

Dia #6: Grande Bazar e apresentação dos Dervishes

Nesse dia ficamos livres. Voltamos ao Spice Bazar (Bazar das especiarias Mısır Çarşısı), para olhar as coisas com mais calma. Saímos de lá e fomos ao Gran Bazar (Grande Bazar), que também é chamado Bazar Coberto ou Mercado Coberto, fica situado no bairro histórico de Eminönü.

A cidade é linda, com vários atrativos, por isso deixamos esse dia livre para andarmos sem rumo.

Dervishes

Ao final do dia, tínhamos agendado a apresentação dos Dervishes. Os Dervishes são monges do islamismo sufista que seguem o caminho ascético da Tariqah, conhecidos por sua extrema pobreza e austeridade.

Pela apresentação pagamos o valor de R$ 90,00 e a reserva também foi feita ainda no Brasil, pelo site da Decolar.com. Fizemos a reserva com antecedência, pois essa apresentação que escolhemos é legítima e muito procurada, portanto, caso não fosse feita com antecedência, corríamos o risco de não vê-la.

Tudo sobre a apresentação

A apresentação é no Hodjapashaque vende online os ingressos pelo valor de 70 Liras Turcas, que hoje é R$ 63,70. Perceba, hoje é mais barato ir para Turquia em razão da grande desvalorização da moedas dele, em comparação ao Real Brasileiro.

Depois da apresentação, jantamos e voltamos ao hotel, afinal, no dia seguinte bem cedo iríamos embora da Turquia, que nos deixou saudade.

Porque é barato viajar para Turquia?

Primeiro ponto importante é a moeda. Como você pode ver, a moeda deles está desvalorizada em comparação com o Real. Quando eu fui, a variação era de R$ 1,22 a R$ 1,26 cada Lira Turca e eu achei ABSURDAMENTE barato, imagine agora que está a R$0,91.

Lógico que há vários outros países que são mais baratos que a Turquia, porém, o diferencial de lá é que você consegue comer e se hospedar muito bem por um preço muito baixo.

Além de que, a Turquia é um país carregado de história. Istambul é uma cidade que possui uma infra estrutura ótima pro turismo, sendo organizada, segura e limpa.

Basílica de Santa Sofia.

Com certeza voltaremos quando tivermos oportunidade, pois foi um país que ganhou nosso coração.

Gostou? Deixe seu comentário para gente 😀

Post atualizado em 23/08/2017.

Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Deixe um comentário