Viajar para Roma é barato? Roteiro de 5 dias e 4 noites na capital Italiana

A princípio, pensei que não seria possível conhecer todos os principais pontos turísticos de Roma em apenas 5 dias, porém não só conseguimos, como também tivemos tempo livre para perambular por lojas, mercados e viver a arte de não fazer nada, curtindo um belo por do sol. Mas Viajar para Roma é barato? Nesse post vou contar como foi nossa experiência. 😉

Mas viajar para Roma é barato?

Antes de começar a falar do roteiro propriamente dito, vou falar de como foi a viagem, de uma forma geral. Tudo começou com uma promoção para Índia, com stopover (permanência gratuita no destino de conexão) em Abu Dhabi, pela Etihad Airways.

Contudo, como a Etihad Airways parou de operar voos de/para o Brasil em abril/2017, a solução encontrada pela companhia foi realocar os passageiros em voos da sua parceira, Alitália, com os voos fazendo conexão na Itália, onde teríamos no retorno ao Brasil, direito a fazer stopover em Roma, ficando três dias e duas noites.

Basicamente ficaria assim: Emirados Árabes, Índia, Itália. Contudo, tivemos um probleminha técnico que nos impossibilitou de fazer o stopover em Abu Dhabi, fazendo com que trocássemos o destino, também por Roma.

Então nosso roteiro, um pouco quanto confuso, digamos: Roma (dois dias e duas noites), Índia (nove dias) e novamente Roma (três dias e duas noites).

Já contamos aqui no blog, como foi os nossos primeiros dois dias em Roma, tim tim por tim tim, inclusive com todos os gastos. Vamos dar uma refrescada?

Como organizamos

Para você entender a dinâmica de como foi nossa programação, antes de sairmos do Brasil, marcamos tudo o que queríamos conhecer no My Maps, do Google, como praças, gelaterias, restaurantes, monumentos e etc. Veja:

A parti daí, como nos hospedamos próximos ao Coliseu, ficou fácil de conhecermos todos esses pontos a pé! Então vai aí meu conselho, se tiver oportunidade, hospede-se na região que ficamos, pois foi uma mão na roda!

Roteiro

Dia #01

Para ver o roteiro completo do primeiro dia, dê uma conferida no post Roma e lugares imperdíveis para você visitar!, que eu já deixo o link aqui para facilitar. 😀

Como chegamos a Roma aproximadamente às 07:00h da manhã, pegamos nosso transfer para o apartamento que ficaríamos, deixamos nossas coisas e corremos para rua. Praticamente conhecemos quase todas as principais praças da cidade, rs.

Era domingo de Ramos, uma coincidência, pois estava rolando a Páscoa do Açougueiro na Piazza di Spagna.

Passamos pelo Campo di Fiori, Piazza Navona, Panteão, Fontana Di Trevi e terminamos nosso dia em Trastevere, comendo uma deliciosa massa com vinho!

Nosso gasto nesse primeiro dia foi de R$ 52,20 com o transfer para o apartamento, R$ 234,67 com a hospedagem por duas noites, por pessoa e R$ 77,25 com o lanche da tarde e o jantar, já que nosso almoço/café foi gratuito na Páscoa do Açougueiro, rs.

Dia #02

Para ver o roteiro completo do segundo dia, dê uma conferida nos posts Vaticano: Conhecendo o território do PapaComo conhecer gratuitamente o Castelo de Sant’ Ângelo, que eu também já deixo os links aqui para facilitar.

Nesse segundo dia, ficou dividido em duas partes: Vaticano pela manhã  e o Castelo de Sant´Ângelo a tarde.

Gastamos um pouquinho mais nesse dia, porque fomos fizemos a visita guiada ao Vaticano, pelo valor de 40 euros (R$ 139,20), 16 euros (R$ 55,68) no almoço em um restaurante próximo (por isso que foi carinho, porque restaurantes próximos a pontos turísticos sempre tendem a serem mais caros), 13 euros (R$ 45,24) no ingresso do Castelo de Sant´Ângelo e 31,50 euros (R$ 109,62) no jantar.

Voltando a Roma

Dia #03

Após a Índia, nosso voo desembarcou logo pela manhã em Roma, quando pegamos o transfer pelo valor de 15 euros (R$ 51,90) do aeroporto para o nosso apartamento, Vatican Templa Deum, que também ficava próximo ao Vaticano e custou R$ 592,80 pelas duas noites, para nós três, custando R$ 197,60 para cada.

Esse apartamento além de melhor que o anterior, era mais barato, então fica a dica!

A reserva foi feita no hoteis.com e eu particularmente adorei o apartamento. Ele era muito bem localizado, com vários restaurantes e cafés por perto, além de ser próximo a maioria dos pontos turísticos e lugares do nosso interesse, o que também nos possibilitou fazermos tudo a pé de novo.

Dolce fare niente

Deixamos as coisas no apartamento e fomos para um café na esquina do lado esquerdo, chamado Café Mianionde tomamos um café com um panini delícia, por 8,50 euros (R$ 29,58).

Como nosso retorno da Índia foi um pouco conturbado, porque a Amanda teve intoxicação alimentar, deixamos nosso dia mais tranquilo e meio que sem rumo, onde pulamos de café em café, restaurante em restaurante, tirando o atraso da comida, rs e vivendo mesmo o lema “dolce fare niente”, que eu recomendo fortemente vivê-lo em Roma.

Almoçamos em um restaurante que viramos fregueses, rs, primeiro porque o valor era bom, 14,90 euros (R$ 51,85), e segundo porque a comida era farta e excelente! Incluía salada de entrada, bruschetta de tomate, massa ou pizza e uma bebida, que poderia ser um copo de cerveja ou uma taça de vinho.

O nome do restaurante é Anni 60 e ele fica na Via Zanardelli Giuseppe, 21, pertinho da Piazza Navona.

Um café e um cheesecake, por favor!

Andamos um pouco pela região e paramos em um café super charmoso, para tomar um espresso Italiano e comer um cheesecake com framboesa, mirtilo e amora por 5,00 euros (R$ 17,40).

Melhor cheesecake que já comi!

Depois fomos a Piazza di Spagna, que poussi uma escadaria até a igreja Trinità dei Monti, sendo uma das praças mais famosas da cidade, localizada no no Campo Marzio.

Depois andamos a Via del Corso inteira, que é uma das principais ruas no centro da cidade. Ela é toda reta, numa área cheia de vielas e pequenas praças, além de ter várias lojas de grife e também lojas de departamento, com preços mais acessíveis. Passamos boa parte do nosso dia ali, olhando vitrines e caminhando.

Boggi é o sobrenome da minha família. 😀

Ao final da tarde, resolvemos assistir ao por do sol no restaurante e bar Canova, que fica na Piazza del Popolo. Essa praça também é uma das  mais famosas da cidade.

No Canova nós tomamos apenas uma cerveja e comemos um aperitivo (batatinhas fritas e azeitonas) pelo valor de 7 euros (R$ 24,36).

Vista panorâmica da Piazza Popolo

Depois que o sol se pôs, começamos a ouvir um som bem alto e resolvemos seguí-lo, quando fomos parar no terrazza del pincio, que é uma colina com vista para o Campo de Marte. Lá estava rolando um show gratuito, que assistimos até o final.

Anoitecer na Terrazza del Pincio

Já era noite, mas como as ruas estavam bem movimentadas, decidimos voltar a pé para o apartamento, deixar nossas coisas e jantar em um dos restaurantes lá perto mesmo, onde comemos carpaccio de polvo, pizza de quatro sabores e vinho, muito vinho, por 20 euros (R$ 69,60)  para cada, encerrando nosso dia aí.

Dia #04

Começamos nosso dia tomando café no mesmo lugar, Café Miani, por 7 euros (R$ 24,36), e chega de folga! Conheceríamos o Coliseu, Fórum Romano e o Palatino. A entrada dos três pontos, para dois dias, com áudio guia para somente para o Coliseu, custou 14,75 euros (R$ 51,33).

Vista de fora do Coliseu

Os três são bem próximos uns dos outros, então é possível conhcê-los no mesmo dia e a pé. O Coliseu é um anfiteatro oval que fica no centro de Roma, sendo o maior anfiteatro já construído. Ele  era usado para combates de gladiadores e espetáculos públicos, com o objetivo de entretenimento para a população, sendo que atualmente é uma das sete maravilhas do mundo moderno.

Como acordamos um pouco tarde e fomos a pé até lá, chegamos no horário do almoço. A fila estava super pequena e foi bem tranquilo comprar os ingressos, e conhecer o Coliseu com bastante calma. Levamos mais ou menos 3 horas lá dentro.

Interior do Coliseu

Eu adorei o Coliseu e recomendo o áudio guia, contudo, senti falta de sinalização lá dentro. Em vários momentos ficamos perdidos, subindo e descendo escadas porque simplesmente não há qualquer sinalização ou indicação do trajeto a ser feito, o que acabou fazendo com que perdêssemos tempo. 🙁

Depois que concluímos o Coliseu, fomos ao Palatino. A fila estava um pouco maior, mas também foi rápido para entramos.

Passeio no Palatino

O Palatino é um grande museu ao ar livre, sendo uma das sete colinas de Roma e fica ao centro do Fórum Romano e do o Circo Máximo. Já o Fórum Romano  é um fórum retangular, rodeado por ruínas de várias construções públicas.

Caso você não esteja com um guia, eu aconselho que alugue  o áudio guia, para conhecer o Palatino e o Fórum Romano. Nós não alugamos e boiamos um pouco, apesar de ter algumas placas com explicações, que não são suficientes.

Já era final de tarde, quando terminamos de conhecer o Fórum Romano e o PalatinoComo já estávamos na região, resolvemos dar um pulo na Basílica dos Santos Cosme e Damião e depois fazer um lanchinho, em uma das lanchonetes de rua, pelo valor de 11,80 euros (R$ 41,00).

Sente só? Como eu disse, restaurantes, bares e lanchonetes próximos aos pontos turísticos na maioria das vezes são caros. 🙁

Anoitecer em Roma
Uma das pontes de Roma, com vista para o iluminado castelo.

Voltamos a pé para nosso apartamento e no meio do caminho, paramos em um restaurante bem legal, que se chama La Pancia Felice, e fica na Via di Porta Castello, 11. Para deixarmos nossa “pancia felice”, gastamos 15,00 euros (R$ 52,20) cada.

Dia #05

A hora de dar tchau estava próxima, esse era o nosso último dia na cidade, pois teríamos que ir pro aeroporto as 19:00h.

Como já tínhamos conhecido quase tudo o que queríamos,  resolvemos ir a Bocca della Verità que é uma enorme máscara de mármore, cuja diz a lenda que mordia a mão de quem mentia.

A escultura ficava na Piazza de la Bocca della Veritá, quando então foi levada ao exterior de uma das paredes da Igreja de Santa Maria in Cosmedin, onde está até hoje.

Famosa boca da verdade

Tomamos nosso habitual café da manhã, só que dessa vez em outro lugar, pelo valor de 5,00 euros (R$ 17,40). Chegamos a Bocca della Verità, que de certa forma, foi uma decepção, pois havia uma fila imensa só para tirar uma foto com a mão na boca da imagem, que ao vivo é bem sem graça.

Resolvemos não encarar a fila, e seguimos andando. Passamos em uma feirinha de rua, almoçamos novamente no Anni 60, pelo valor de 13,90 euros (R$ 48,37), comendo a salada de entrada, bruschetta, lsanha e vinho.

Andamos pela Piazza Navona, Piazza Venezia, onde pegamos a Via del Corso novamente e seguimos até a Piazza del Popolo.

Escadaria da Piazza Venezia

Jantamos no Anni 60, para nos despedirmos da deliciosa pizza italiana, pegamos um Uber que deu 20 euros (R$ 69,60) para cada, retornando para o Brasil.

Pizza Caprichosa, o nome já diz né?

Porque não é caro viajar para Roma?

Primeiro e mais importante, não é caro viajar para Roma porque há muitos passeios gratuitos por lá! Há inúmeras praças, fontes, pontes, e museus em determinados dias, totalmente gratuitos.

Fora que, pelo simples fato de estar lá, sentado em um café, ou tomando um gelato em uma praça, ou ainda andando sem rumo nas ruas e ruelas da cidade, já é um passeio e tanto!

A primeira impressão, você pode pensar “nossa, achei a comida meio cara lá…”, mas eu digo que não. Basta você comparar com o Brasil que logo perceberá o quão barato é, pois os pratos são bem servidos, deliciosos e de qualidade.

Posso dizer que Roma entrou pra minha lista pessoal dos favoritos, rs.

Na ponta do Lápis

Como você percebeu, a gente comeu e bebeu muito por lá. Não é sempre que cometemos essas extravagâncias, então estamos perdoados, não é mesmo? rs. Vamos lá:

Nos dois primeiros dias, gastamos : R$ 713,82. Ficou um pouco mais apertado porque fizemos dois passeios pagos (Vaticano e Castelo).

Já nos três últimos dias, o gasto foi de R$ 770,91, na proporção a seguir:

  • Hospedagem: R$ 197,60;
  • Transporte: R$ 121,50;
  • Comidas e bebidas: R$ 400,48;
  • Ingressos/Entradas: R$ 51,33.

Ou seja, para os cinco dias e três noites que estivemos lá, o custo TOTAL foi de R$ 1.484,73.

E aí? Gostou? Compartilhe sua opinião com a gente! 😉

Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Deixe um comentário