Como viajar barato para Fernando de Noronha: Guia completo

Quando surgiu a oportunidade de irmos a Fernando de Noronha/PE, não pensamos duas vezes em realizar esse sonho mesmo sabendo que os preços no arquipélago não eram muito convidativos. Contudo, nesse post darei dicas valiosas de como viajar barato para Fernando de Noronha e aproveitar o melhor deste paraíso.

Como viajar barato para Fernando de Noronha

A viagem para Fernando de Noronha foi uma oportunidade irrecusável. Eu estava em casa, “matando” o tempo olhando o Facebook, quando me deparei com a seguinte notícia “URGENTE: MACEIÓ E FERNANDO DE NORONHA A 4.000 PONTOS TUDO AZUL O TRECHO”. Travei na hora e corri para ler o post publicado por um blog sobre milhas aéreas. Tratava-se de uma promoção ou bug no aplicativo do Tudo Azul, onde era possível emitir passagens para Fernando de Noronha ou Maceió por apenas 4.000 pontos o trecho, com várias datas de saída partindo de várias cidades brasileiras!

Para começar o nosso projeto Viajar barato para Fernando de Noronha. Baixei correndo o aplicativo no meu celular e busquei passagens para março de 2017, com a intenção de passar o meu aniversário lá. E… Tcharãn! Havia muuuita disponibilidade. Emitimos as passagens e segundos depois o aplicativo saiu do ar e não deu tempo de avisar mais ninguém ou mesmo compartilhar no blog 🙁

Missão #1: Encontrar uma hospedagem barata

Achar uma hospedagem barata é quase que uma missão impossível quando se trata de Fernando de Noronha. Porém,  é muito comum os moradores alugarem quartos em suas casas para receber os turistas. Depois de um tempo pesquisando no Airbnb, achamos um quarto que ficava no sótão da casa de um gringo chamado George.

Pela estadia de 5 noites, para duas pessoas, pagamos o valor de R$800,00. Ou seja, o equivalente a R$80,00 na diária, por pessoa.

Nosso humilde quartinho na casa do George Gringo.

O quarto cumpria seu papel de tão somente dormir, dispondo de um ventilador, duas camas de solteiro e um frigobar. O anúncio dizia que era possível usar a cozinha da casa apenas para preparar o café da manhã, contudo conversamos com o George ao chegarmos lá, que além de nos fazer nos sentirmos em casa, nos autorizou a usá-la para preparar lanches e jantares rápidos.

Missão #2: Organizar o roteiro

Viajar barato para Fernando de Noronha requer uma certa organização com antecedência principalmente para quem tem interesse em fazer as trilhas, já que algumas só podem ser feitas com guias e também permitem um número restrito de pessoas por dia. Além das trilhas, também é necessário fazer as reservas de alguns passeios, incluindo o mergulho com cilindro, que é bastante procurado. Veja bem, não é obrigatório, contudo, pode ser que você deixe para última hora e não consiga vaga em algum passeio ou trilha para o período que você estiver lá.

Como nós tínhamos apenas 5 dias, agendamos a trilha longa do Atalaia com o guia Felipe Rogério por WhatsApp (081) 99654-8145, pelo valor de R$ 150,00 por pessoa. Para fazer esse agendamento, é necessário enviar o comprovante de pagamento da taxa de entrada no Parque Nacional.

Ingresso do Parque Nacional

Viajar barato para Fernando de Noronha e para conhecer a maioria das praias, precisamos fazer alguns passeios e trilhas, e é necessário comprar o ingresso que lhe dá acesso a área de preservação ambiental: o Parque Nacional Marinho. O valor do ingresso é R$99,00 e você pode pagar nesse site aqui

A área do Parque Nacional Marinho corresponde a mais da metade da área do arquipélago.

Nota: Se você comprou o ingresso através do site, imprima o comprovante de pagamento para retirar o seu cartão magnético no quiosque do Parque Nacional Marinho que fica na praça Flamboyant (veja no mapa no final do post). Ande sempre com este cartão, pois ele lhe dará acesso a área de preservação ambiental em todo o período que estiver na ilha.

Taxa de Preservação Ambiental

Outra questão importante é a TAXA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL, que você pode pagar pelo site do arquipélago, ou no aeroporto, assim que desembarcar. Esse valor é calculado pelos dias que você ficará na ilha. No meu caso, como fiquei 5 dias, paguei R$338,21.

No aeroporto, a fila para quem já fez o pagamento pela internet é bem menor. Eu optei por fazer o pagamento na hora, pois  é possível pagar com cartão de crédito no aeroporto😀 Se você optar por fazer o pagamento antecipado, a única opção oferecida é boleto.

Missão #3: Escolher a empresa de mergulho

Fernando de Noronha é muito famoso pela vida marinha abundante, o que torna o local ideal para flutuação e mergulho com cilindro. Há duas formas de fazer o mergulho com cilindrosendo elas na Praia do Porto e o embarcado, que é feito em alto mar. Mas qual devo escolher se quiser viajar barato para Fernando de Noronha?

Na Praia do Porto, são duas empresas que operam: Mar de Noronha (também conhecida como Bodão) e Sea Paradise, ambas cobram R$250,00 por pessoa, com equipamento incluso.

Quando a Amanda esteve em Fernando de Noronha, ela mergulhou com a Sea Paradise e contou sua experiência como é mergulhar em Noronha.

Mas tem diferença entre as empresas de mergulho?

Pesquisei muito a respeito e para ser sincero, não há diferença entre as operadoras de mergulho, mesmo porque os mergulhos são feitos no mesmo lugar na Praia do Porto, onde há um naufrágio com muita vida marinha.

A agenda é bem concorrida para esse mergulho e, é claro, mantive contato com as duas empresas até dias antes da minha viagem, porém, infelizmente não foi possível fazer o agendamento para o mergulho, uma vez que naquela época, o mar estava instável por conta do Swell. 🙁

Swell: São ondulações formadas por tempestades em alto mar, que por sua vez vão em direção à costa e formam ondas enormes. O swell é excelente para os surfistas, porém péssimas para os mergulhadores pois, “bagunçam” a areia diminuindo muito a visibilidade do mergulho.

Qual empresa escolhi?

Em virtude disso, só nos restou fazer o mergulho embarcado, cujo valor variava entre R$340,00 a R$600,00. A operadora de mergulho mais em conta é a Noronha Divers que custa R$340,00. Contudo, como ficamos aguardando a boa vontade do mar, tivemos que agendar de última hora com a Águas Claras, pelo valor de R$ 470,00 para cada.

Não tenho o que reclamar da empresa pois tudo ocorreu bem, porém, por conta do mar não vimos nada além de uma tartaruga e peixes comuns. O fato de não termos visto nada, não tem nada a ver com a empresa mas, sim com a natureza. Infelizmente não foi um mergulho bom para nós.

Mergulhando em Noronha

Todos os mergulhos em Fernando de Noronha contam com fotógrafo e cinegrafista mergulhadores. A princípio pode parecer besteira comprar a foto do mergulho para quem possui camera aquática, mas adianto que não é! As fotos obviamente são caras, contudo, são feitas com equipamento profissional e são totalmente diferentes das que tiramos com a GoPro. Como não havia muita vida marinha no dia que mergulhamos, o fotógrafo conseguiu apenas uma foto legal. Graças aos peixeinhos que me ajudaram. 😀

Animado pra mergulhar em Noronha!

Veja com os próprios olhos a diferença das câmeras:

Outra observação importante é que o instrutor fica o tempo inteiro de mãos dadas com você, enquanto mergulha. Então não vá pensando que vai mergulhar livremente, se você não tem a certificação.

A experiência que eu tive com mergulho em Janeiro/2017 foi totalmente diferente, mesmo sem certificado. Fiz dois mergulhos em alto mar em Zanzibar, na Tânzania, totalmente livre, com o instrutor apenas acompanhando. A Amanda contou com foram estes mergulhos no post viajar para Zanzibar.

A duração do mergulho que fizemos em Fernando de Noronha foi de aproximadamente 40 minutos. A embarcação parte do Porto pela manhã e retorna antes do almoço para o mesmo local de partida.

Nosso Roteiro

Dia 1: Chegando na ilha

Chegando no aeroporto, preenchemos o formulário de imigração e fomos para fila para pagar a taxa de preservação ambiental. Pegamos um táxi até onde nos hospedaríamos que custou R$ 26,00, ou seja, R$ 13,00 para cada um.

Ao desembarcar no aeroporto é necessário preencher a ficha do Controle Migratório.

A casa do George Gringo fica no bairro Floresta Velha, que é ao lado da Vila dos Remédios. Como chegamos ao entardecer, resolvemos ir direto a Praça do Flamboyant, que fica na Vila, pegar o nosso cartão de entrada do Parque Nacional e aproveitar para agendar o Ilha Tour.

O George é um cara legal, sua casa é bem simples e ele nos recebeu super bem.

O valor do Ilha Tour foi R$130,00, o que é um preço até justo comparado aos outros passeios, visto que esse tem a duração de um dia inteiro. Agendamos o passeio para o dia seguinte, para já termos uma ideia geral da ilha.

Praias urbanas de Noronha

Em seguida, fomos conhecer a Praia da Conceição, que fica bem próxima a Vila, sendo a última das praias mais próximas a Vila dos Remédios, que seguem a seguinte ordem: Praia do Cachorro, Praia do Meio e Praia da Conceição.

Vimos o entardecer e o Pôr do Sol, quando decidimos voltar para Vila, para beber alguma coisa no Restaurante Flamboyant. Tomamos umas cervejas e gastamos R$ 39,60 cada.

Voltamos para casa do George, para jantar (fizemos um lanche que tinhamos levado) e descansar para o dia seguinte. 😛

A comida é muito cara em Fernando de Noronha, então se quiser economizar, aconselho levar alguns snacks ou até mesmo comida, como fizemos. Levamos frutas, ovos, castanhas e atum enlatado.

A água também é cara. A garrafa de 1 litro chega a custar R$10,00! Então sugiro comprar o galão. O George se prontificou a comprar para nós um galão de 20 litros de água a R$20,00. De manhã cedo, enchíamos as garrafinhas logo pela manhã, que tomaríamos durante o dia.

E sim, levamos ovos! Rs.

Dia 2: Ilha Tour

O Ilha Tour é bem interessante para quem quer ter uma visão geral da ilha e das praias logo de cara, como também aprender um pouco da história local. O passeio é feito numa caminhonete 4×4 com a carroceria adaptada com 2 bancos que cabem até 10 pessoas. Antes de começar o passeio é feita uma parada para alugar o equipamento de flutuação: colete, pé de pato, máscara e snorkel. Pagamos R$30,00 pelo aluguel de todos os equipamentos para o dia inteiro, afinal nos programamos para viajar barato para Fernando de Noronha!

Praia do Leão

A Praia do Leão é linda mas é só para admirar de longe, porque ela também é a mais perigosa da ilha.

A primeira parada foi na Praia do Leão, onde tiramos algumas fotos apenas no mirante. O mar estava muito agitado e nosso guia disse que, em razão da forte correnteza, essa é a praia mais perigosa, sendo a responsável pelo maior número de vítimas fatais na ilha.

Praia do Sueste

Entrando na água!

Seguimos para a Praia do Sueste, para fazer a flutuação. É bem tranquilo. A gente chegou, colocou o equipamento para fazer a flutuação e seguimos mar a dentro. Há a opção de você ser puxado por uma bóia, pagando R$60,00. Na minha opinião é totalmente dispensável, pois estávamos em um grupo de 6 pessoas e todos foram nadando, sem dificuldade nenhuma.

A Praia do Sueste para mim, foi um dos pontos altos da viagem. Conseguimos ver várias tartarugas marinhas, peixes e há quem viu um tubarão (filhote).

É super fácil ver tartarugas nesta praia!

A época que fomos não era muito boa, pois as ondas são muito altas e o mar muito agitado, o que de certa forma afasta os bichos da costa e também impossibilita o banho em algumas praias.

Praia do Sancho

A praia do Sancho já foi eleita várias vezes a praia mais bonita do mundo nas pesquisas realizadas anualmente pelo TripAdvisor.

Nos arrumamos e seguimos a Praia do Sancho, que é considerada a mais bonita do MUNDO. O lugar é simplesmente maravilhoso! A única coisa ruim é o acesso, pois você desce em uma escada entre pedras e depois vários degraus, até chegar a areia. Para quem tem dificuldade ou problema de acessibilidade, o melhor é ir até lá de barco.

Para chegar na praia é preciso descer duas escadas dessas.

Cacimba do Padre

Curtimos um pouco dessa linda praia e seguimos rumo a Cacimba do Padre, para almoçar o famoso peixe na folha de bananeira. Dividimos um peixe entre duas pessoas, que deu R$68,00 por pessoa, já com bebidas. Sinceramente não achei nada demais o peixe.

A maré já tinha subido, então não conseguimos ir até a Baía dos Porcos, que fica ao lado da Cacimba do Padre, onde estávamos. Para não perder a viagem, subimos nas pedras e ficamos admirando a vista, de tirar o fôlego.

Tentamos ir para a Baía dos Porcos, mas como a maré estava muito alta, aproveitamos para tirar umas fotos no mirante do morro Dois Irmãos.

Então demos mais um tempo na Praia Cacimba do Padre, para então seguirmos para o mirante do museu do tubarão. É lá que fica o famoso trono do tritão e o rabo de sereia que os turistas tiram foto, sabe? Tirei a minha também. 😀

Lá também fica o Buraco da Raquel, que é proibido para banho e pesca, sendo também um cenário para diversas teorias/estórias sobre o nome do lugar.

O acesso ao Buraco da Raquel não é permitido devido a fragilidade da vida marinha da regiao.

Depois do museu, seguimos para Capela de São Pedro dos Pescadores, que é muito charmosa e rendeu lindas fotos!

A capela de São Pedro – o santo protetor dos pescadores

Para o por do sol, nosso guia nos levou ao Boldró, onde assistimos aquele espetáculo da natureza, finalizando o nosso dia.

Um dos pores do sol mais bonitos de Fernando de Noronha!

Dia 3: Mergulho embarcado, Praia da Conceição e Forte de Nossa Senhora dos Remédios

Seguindo com o plano de viajar barato para Fernando de Noronha, iniciamos nosso dia com o mergulho embarcado, que eu já adiantei como foi logo acima.

Como retornamos quase na hora do almoço, pegamos uma carona com o pessoal do mergulho até a Vila dos Remédios, onde almoçamos no restaurante da Edilma.

Comemos um Tubarão no molho e tomamos cerveja, o valor total foi R$74,80 para cada um.

Após o almoço, seguimos para a Praia da Conceição, onde curtimos um pouco o mar, descansamos, para então seguirmos a pé pro Forte de Nossa Senhora dos Remédios, para ver o por do sol.

Voltamos a pé do Forte, claro #projeto Viajar barato para Fernando de Noronha e decidimos dar uma paradinha na tapioca da babalu. Comi uma doce e uma salgada e gastei R$ 24,00.

Dia 4: Praia do Porto, Captura intencional das tartarugas marinhas e Praia do Meio

Para esse dia, tínhamos agendado o passeio de barco com o Tio Élcio, com Plana Sub. Porém, mais uma vez o mar acabou com a nossa graça, pois como as ondas estavam muito altas, o barco não sairia. Fiquei chateado, mas, “vamô fazê o quê, né?”

Mudamos os planos e resolvemos conhecer a Praia do Porto, na esperança (quase remota) de fazer o snorkel. Chegamos lá de ônibus (R$ 5,00) (Viajar barato para Fernando de Noronha, lembra?) e certamente não foi possível fazer o snorkel.

Praia do Porto: Só para banho?

Não recomendo a Praia do Porto só para banho na época de Swell… Pelo menos não foi legal para nós. O mar estava muito escuro e com muitas algas.

Decidimos ir até a Praia do Porto tentar fazer flutuação.

O legal de lá é o Náufrago, mas infelizmente por causa da agitação do mar, não era recomendado flutuar por lá.

Um garçom do restaurante da Edilma nos disse que a Praia do Porto é a preferida dele e de muitos para banho. Acredito que eu não dei sorte mesmo! 🙁

Pegamos um ônibus e fomos para a Vila dos Remédios para almoçar. Resolvemos conhecer o Restaurante São Miguel, que é um dos poucos que servem comida a KG. Gastei R$ 57,00 na comida e bebida.

Alimentados, pegamos um ônibus (R$ 5,00) e fomos a Baía do Sueste, para ver a captura intencional das tartarugas marinhas, promovida pelo Projeto TAMAR. É interessante, porque eles dão uma aula sobre as tartarugas, mas se você tem pouco tempo e não tem tanto interesse assim nas tartarugas, sugiro fazer outra coisa 😀

As tartarugas capturadas são identificadas e examinadas.

Relax, relax!

Como a Baía do Sueste fecha “cedo”, as 17:00h, pegamos um ônibus (R$ 5,00) e fomos até o ponto final da Vila dos Remédios, para descermos para a Praia do Meio. Curtimos um pouco o mar e fomos para o Bar do Meio, que fica logo na entrada da praia.

A praia é bem pequena e reservada.

Tomamos uma cerveja (R$ 13,00) e assistimos o pôr do sol, que também é lindo por lá.

Como queríamos economizar, subimos a ladeira e fomos comer na Tapioca da Babalu. Comi uma “hambioca” (hamburguer feito com tapioca no lugar do pão), por R$ 17,00. Foi o lanchinho de final da tarde, rs.

Como nós tínhamos feito o mergulho pela manhã do dia anterior e tiramos algumas fotos com a fotógrafa, tínhamos que ir ao escritório da Águas Claras, onde a fotógrafa ficava a noite vendendo as fotos.

Projeto Tamar

Pegamos um ônibus (R$ 5,00) e seguimos sentido Baía do Sueste e descemos próximo ao PROJETO TAMAR. Aproveitamos para dar uma conferida, comprar uma lembrancinha (imã de geladeira R$ 12,00) e tirar algumas fotos.

Fomos até o local onde a fotógrafa estava, compramos uma foto (R$ 40,00) e voltamos a pé para a Vila dos Remédios. Foi uma boa pernada, mas pelo menos compensaria o nosso jantar. Jantamos no mesmo restaurante que almoçamos, o São Miguel. Gastamos R$ 54,00 com o jantar, bebida e sobremesa.

Dia 5: MEU ANIVERSÁRIO: Trilha longa do Atalaia, Mergulhão, Bar do Meio e restaurante Corveta

Hoje era o dia da trilha longa do Atalaia, meu aniversário! Pagamos pelo guia o valor de R$ 150,00 por pessoa, porém há quem cobre mais barato. Fiquei sabendo de guias que cobravam R$ 110,00, R$ 120,00 e por aí vai, sempre com a ideia de viajar barato para Fernando de Noronha!

Vou passar para vocês outros telefones de guias que fazem as trilhas e quem sabe, você não consegue um valor melhor, né? Segue aí:

  • Felipe Rogério (081) 99654-8145
  • Pedro (081) 98763-9224 / (081) 99924-6513
  • Stéfano (081) 98770-3364

Começando a Trilha longa do Atalaia

Encontramos nosso guia no ponto de encontro, na Vila dos Trinta e seguimos rumo a entrada da trilha, onde alugamos o material para flutuação (colete, máscara e snorkel) pelo valor de R$20,00. A trilha longa dura em torno de umas 5 horas. Iniciamos as 10:30h com a piscina natural do Atalaia. Iniciamos nosso passeio, fazendo flutuação. A piscina era simplesmente sensacional, com uma infinidade de peixes e animais marinhos que nos fez quase perder a hora de seguir caminho. 🙂 Tivemos muita sorte, pois a maré estava no ponto! Nem muito seca e nem muito alta, possibilitando a flutuação tranquilamente 🙂

Seguimos rumo a piscina natural da Pontinha. Tiramos algumas fotos no seu lindo mirante e descemos na piscina. Vimos moréias, polvos e lagostas. O visual e o contato com a natureza é indescritível.

Piscina natural de Caieiras

O ponto mais “crítico” da trilha foi seguir pra Caieiras. Não pense que é uma caminhada tranquila não.. ela é feita sobre pedras vulcânicas e eu quase caí várias vezes, rs.

Nossa última flutuação seria na piscina natural de Caieiras. Contudo a maré estava muito baixa e a piscina seca (baixa). Nosso guia então nos orientou a fazer flutuação ou até mesmo nadar na piscina ao lado, enquanto a maré subiria aos poucos… Ou seja, ganhamos uma flutuação que estava “fora” do roteiro. Confesso que entendi o motivo dela estar fora, rs, já que era a praticamente as mesmas coisas das anteriores, sem novidades.

Finalmente a maré começou a subir e formar a piscina natural de Caieiras. Nosso guia disse que tinha um tubarão limão nadando com a gente, mas eu ia para um lado e o danado para outro… eles são muito rápidos! Por conta disso, acabei que não vi o tutubarão. 🙁

Dicas extras para a trilha!

De fato a piscina natural de Caieiras é linda. Há tantos peixes, de tantas cores e tamanhos que eu não sabia para onde olhar! Fora os corais e os outros bixinhos que não sabia o que eram 😀

Na Trilha do Atalaia é PROIBIDO o uso de protetor solar e repelentes, ainda mais quando for próximo de entrar na piscina natural. O Guia disse que no meio do caminho, poderia passar o protetor e/ou repelente, porém se é proibido, porque fazer né? Se você não suporta ficar sem proteção solar ou tem a pele muito sensível, compre ou leve aquelas malhas de manga longa com proteção UVA/UVB, que serão de extrema utilidade em outros passeios da viagem. Lembre-se que lá é uma aárea de preservação ambiental, então levar a sério as regras, é essencial para que o paraíso continue sendo um p-a-r-a-í-s-o

Nosso horário acabou, hora de dar tchau e seguir para o ponto final, que é o porto, quase em frente ao Bar Mergulhão.

Descansando após terminar a Trilha Longa do Atalaia.

Caso você não queira pagar um guia ou, não tenha interesse em conhecer todas essas piscinas, tem a opção de fazer a trilha curta, que é autoguiada, ou seja, você faz o caminho sozinho até chegar a piscina natural do Atalia. É necessário tão somente que você faça o agendamento prévio, e compareça no portão na hora e local indicados.

Descanso merecido

Viajar barato para Fernando de Noronha, também tem seu lado bom, e como já era tarde, resolvemos parar um pouco no Bar Mergulhão e descansar nas espriguiçadeiras que têm lá. Tomamos umas cervejas que custou R$42,90 para cada. Após o descanso, pegamos um ônibus (R$5,00) descemos no último ponto na Vila dos Remédios e descemos para Praia do Meio. Ficamos um pouco no mar e decidimos ir para o Bar do Meio, que fica logo na entrada da praia, tirar algumas fotos com um Buda, que faz todo um charme na foto do por do sol, rs.

Bebemos uns drinks e comemos uns petiscos pelo valor de R$56,00 cada. Sempre com nosso projeto de Viajar barato para Fernando de Noronha, subimos a pé e lembramos que todos na ilham falam do bar do cachorro, que tem forró e etc. Sabíamos que não era hora e nem dia de forró, porém fomos até lá conhecer. Estava tendo uma apresentação de saxsofone bem legal… Tomamos uma cerveja e comemos um petisco. O petisco custou absurdamente R$32,00 e era uma batata inglesa cozida, com um potinho de molho com aroma de gorgonzola.. Ou seja, um absurdo!

R$32 para comer uma batata inglesa assada.

A bebida e o petisco custaram R$30,00 para cada.

Comida pra que te quero!

Como era meu aniversário, mesmo com o projeto Viajar barato para Fernando de Noronha, eu queria conhecer tudo o que tinha e não tinha direito, rs, inclusive sobre comida, fomos até o Corveta, que é um restaurante que fica na Vila dos Remédios.

Dividimos 3 pratos, bebidas e sobremesa e deu R$120,00 para cada! Não achei caro, pois a comida e o atendimento foram excepcionais.

Após tanta comilança fomos para casa, pois na tarde do dia seguinte iríamos partir.

Dia 6: Praia Baía dos Porcos, Corveta e despedida

Acordamos cedo, pegamos um ônibus (R$ 5,00) o projeto seguia firme (Viajar barato para Fernando de Noronha!) sentido Baía do Sueste e descemos na “estrada” que dava acesso a Cacimba do Padre e Baía dos Porcos. Como não tínhamos conseguido ir a Baía dos Porcos, resolvemos conhecer lá. A Praia simplesmente é linda, porém como grande maioria delas, não há infraestrutura nenhuma, só beleza!

Uma das paisagens mais lindas de Fernando de Noronha!

Ficamos um tempo lá, quando então resolvemos retornar de ônibus (R$5,00) para a Vila dos Remédios para almoçar no Corveta, que custou R$65,00 com bebidas. Afinal, o projeto Viajar barato para Fernando de Noronha seguia firme!

Depois desse roteiro maravilhoso de como viajar barato para Fernando de Noronha, chegou a hora de dar tchau! Dividimos o táxi com um casal de amigos que fizemos lá, saiu só R$6,00 para cada um.

Onde fica tudo

Hora da Verdade: Colocando na ponta do lápis

O custo total do nosso roteiro Viajar barato para Fernando de Noronha foi de:

  • Hospedagem: R$ 400,00
  • Entrada Parque Nacional: R$ 99,00
  • Taxa de Preservação Ambiental: R$ 338,21
  • Guia da trilha longa do Atalaia: R$ 150,00
  • Mergulho embarcado: R$ 470,00
  • Ilha Tour: R$ 130,00
  • Equipamentos de mergulho: R$ 50,00
  • Comidas e bebidas: R$ 683,30
  • Foto do mergulho: R$40,00
  • Imã de geladeira: R$ 12,00
  • Transporte: R$ 58,50.

TOTAL: R$ 2.431,01.

Quer ver mais postes sobre Fernando de Noronha?

Tudo sobre Fernando de Noronha

Ilha tour em Fernando de Noronha

Passeios e praias urbanas em Fernando de Noronha

Como é Mergulhar em Noronha

Como economizar em Noronha?

**Post atualizado em 21/11/2017.

Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

10 pensamentos

  1. Adorei o post !! Fui pra lá em outubro de 2016!!! Um sonho!! Acho q vcs não tiveram sorte na praia do Porto… lá e oti.k para mergulho livre!! Vi mto peixes e tartarugas lá!! Fui lá três vezes!!

    1. Oi Ana, tudo bem? Que bom que gostou!! Fico feliz. Então, não tive sorte mesmo 😭😭😭. Eu tava doido pra fazer mergulho com snorkel lá, ou até mesmo de cilindro e não consegui… coloquei mais fotos no post agora, que tá completo 😁. Espero vê-la mais vezes no nosso blog. Abração

  2. Olá!! querido amei a descrição da tua viagem, agora me diz como vc fez pra levar comida, tipo ovos e frutas.

    1. Olá Lole! Tudo bem?? Eu levei na mala despachada. Com os ovos, peguei uma cartela de trinta, coloquei outra cartela em cima, cortei em ao meio e passei fita pra firmar bem. Então os ovos ficaram entre duas cartelas, divididos… meio confuso hahaha, mas conseguiu entender? Pra ter um pouquinho mais de segurança, coloquei as cartelas dentro de uma caixa de papelão que tinha. Mas acredito que você consiga levar naquelas caixinhas de dúzia mesmo, dentro de outra caixa se for o caso. Os ovos chegaram inteiros! Ou leve na mala de cabine tb. As frutas nós levamos na mala despachada. Algumas pêras estavam muito maduras, então chegaram meio amassadas. Já as ameixas chegaram intactas. Acho q nesse caso compensa levar frutas mais duras, como ameixa, banana e maçã. Levei frutas secas também e castanhas que ajudaram bastante. Mas dá pra levar pão, atum, etc, pq vale a pena! Lá o mercado é muito caro 🙁 espero ter conseguido ajudá-la.

    1. Oi Debora. No final do post tem um mapa que marca todos os lugares do post, incluindo a casa do George Gringo. Como Fernando de Noronha é uma ilha muito pequena fica difícil dizer ao certo que bairro é. Mas, acredito que seja Floresta Nova, pois era ao lado da Vila dos Remédios.

      1. Não alugamos Débora. A ilha é realmente minúscula! Só tem uma linha de ônibus que vai para todos os cantos por R$5,00. E é bem comum os moradores oferecerem carona aos turistas. A diária do aluguel de buggy gira em torno dos R$250,00 – 300,00 dependendo da época da época do ano e o valor do litro da gasolina deve estar em torno de R$7,00 (só há um posto de gasolina na ilha). Mas, se for o caso da viagem ser com pessoas com mobilidade reduzida, aí eu posso dizer que é altamente recomendado alugar um buggy por lá. A ilha tem muitas ladeiras, pedras e somente algumas ruas são asfaltadas.

Deixe um comentário