As 3 melhores vinícolas da África do Sul

Existe alguém que não gosta de vinho nessa vida?! Se você é uma dessas pessoas, que não gostam de vinho, só há duas opções pra você: Ou você não bebeu direito, ou você é um desses seres humanos que precisa ser estudado! hehe Brincadeiras à parte, vinho é na minha humilde opinião a melhor bebida que você respeita! E a África do Sul, é um dos melhores fabricantes de vinho que existem nesse mundo! Então nada mais justo do que dedicar não uma manhã, não uma tarde, mas um dia TODO pra conhecer algumas das melhores vinícolas da região.

Escolhendo o wine tour das vinícolas

Na hora de escolhermos o nosso tour de vinho em Cape Town levamos em consideração duas coisas:

  1. A quantidade e qualidade das vinícolas que iríamos visitar no tour, e;
  2. O preço, é claro.

Após diversas pesquisas, fechamos com a Go Cape e pagamos o tour via PayPal antes de sairmos do Brasil .

O tour que escolhemos consistia em visitar as 3 melhores vinícolas das cidades de Stellenbosch, Paarl e Franschhoek. Quem estiver interessado, o nome deste tour é Daily wine tour from Cape Town. O valor que pagamos pelo tour em janeiro foi de 750 rands (atualmente o valor é de 780 rands), o que dá aproximadamente R$ 188,00.

Neste valor estava incluso: Transporte completo, te buscando e deixando no seu local de origem. Por exemplo; o apartamento, hostel ou hotel em que você está hospedado, almoço e uma grande variedade de degustação de vinhos em três fazendas produtoras diferentes, uma delas incluía harmonização de queijos e vinhos. O tempo total do passeio foi de oito horas e meia.

O dia do vinho

O pessoal da Go Cape nos buscou pontualmente no horário combinado, às 9:30 na frente do apartamento que alugamos em Cape Town, para seguirmos para as vinícolas. Estávamos em seis pessoas e nos juntamos a mais seis pessoas também. O carro era uma van, super confortável e limpinho. O nosso guia era muito alegre e receptivo (Eu sou péssima para gravar o nome das pessoas e infelizmente eu não lembro o nome do guia :/ – Por favor, não me julguem! rs. Eu tô tentando melhorar 😀 )

Primeira vinícola: Simonsig

Nossa primeira parada foi na vinícola Simonsig que fica em Stellenbosch, uma pequena cidade universitária, rodeada de fazendas produtoras de vinhos, que fica a 45 km de Cape Town. O clima na cidade é muito tranquilo, descontraído e cercado de muito, muito verde.

Nos sentamos numa mesa grande, na varanda da fazenda e ali começaram as degustações. Nessa primeira parada, experimentamos três vinhos tintos, dois brancos e dois frisantes, todos produzidos pela Simonsig.

O interessante foi que, na hora da degustação, nos foi dado um papel para avaliarmos os vinhos (isso aconteceu em todas as vinícolas que visitamos na África do Sul). Eu adorei isso, porque além de você poder dar as suas notas e ver o preço das garrafas, você pode ficar com o papel para o caso de esquecer os nomes dos seus preferidos. Confesso que no meu caso, tinha mesmo muitos preferidos 😀 já que eu amei a maioria deles!

Prontos para começar a avaliação.

Após a degustação, fomos levados aos barris, onde um colaborador da vinícola, nos explicou como funciona todo o processo de produção do vinho da Simonsing desde o armazenamento, dos vinhos até eles “virarem” garrafas prontas para o consumo.

Armazenamento dos vinhos em barris na vinícola de Simonsing.

Terminada a explicação, fomos para a adega da fazenda, onde pudemos escolher qual vinho comprar. Eu acabei não resistindo e comprando alguns para a adega lá de casa!

Segunda vinícola: Fairview

Saindo de Simonsing, entramos na nossa van e percorremos a estrada até chegarmos na cidade de Paarl.

Paarl começa na montanha de Simonsberg, cerca de 60 km de Cape Town e, como não há influência marítima, é uma região mais quente, excelente para a plantação de uva e fabricação tanto de vinhos brancos, como (e principalmente) de tintos. A região de Paarl tem uma forte influência francesa e é lá que está o famoso vale  Franschhoek.

A segunda vinícola que visitamos, foi então a Fairview. Para a nossa degustação, mais uma vez sentamos numa mesa grande, na varanda dos fundos da fazenda, com todos os integrantes do grupo. Porém dessa vez, tivemos uma surpresa muito agradável e que, convenhamos, tem tudo a ver com vinhos: se você pensou em queijos, acertou! A Fairview além de ser uma ótima produtora de vinhos, ainda produz queijos maravilhosos!

E lá fomos nós com as nossas fichas de avaliação fornecidas pela vinícola, degustar não só os vinhos, mas também os queijos que eles consideravam ideal para cada tipo de vinho que estava sendo degustado.

Degustação de queijos e vinhos em Fairview.

Degustação terminada, seguimos para a adega. Na adega além dos vinhos a venda, havia também os queijos produzidos lá. Nessa hora meu coração apertou! Os queijos eram maravilhosos e combinavam perfeitamente com os vinhos da Fairview. Apesar do Brasil, já ter liberado a entrada de laticínios produzidos em outro país, nossa viagem estava só começando e, meus queridos queijinhos não iriam resistir há quase um mês na estrada antes do meu retorno para o Brasil. Com o coração partido, abri mão dos queijos, comprei mais vinhos e jurei voltar!

Na dúvida cruel de “qual vinho levar?” Acabamos nos sentando para decidir… rs.

Almoçando na vinícola Fairview

O nosso almoço foi no restaurante da vinícola e já estava incluso no tour, assim como uma tacinha de vinho para acompanhar. 😀

A comida estava deliciosa e o lugar que almoçamos era lindo! O almoço foi servido em uma varanda, com uma espécie de “telhado vivo” de parreira de uva. O sol aquecia na medida, e o ambiente era muito agradável!

Como tivemos um tempinho após o almoço para dar uma descansada antes de pegar a estrada rumo a última vinícola, aproveitamos para conhecer mais a fazenda e tirar umas fotos por lá.

Rodrigo e eu na entrada principal da adega.

Fairview também não deixou nada a desejar! Muito pelo contrário: modéstia a parte, ela foi uma das minhas queridinhas. Não tão somente pelo charme dela, mas pelos ótimos vinhos e melhor ainda: ótimos preços!

Veja também: Viajando só com a mala de mão

Franschhoek

A cidade de Franschhoek está localizada a cerca de 50 km de Cape Town, o famoso Vale tem forte influência francesa. A começar pelo nome que significa “o canto dos franceses” em africâner. Tudo começou porque em 1688 o vale foi reservado para que o franceses pudessem cultivar a cultura do vinho e eles, claro, cultivaram muito bem!

Rodrigo e a Bia em frente ao café da vinícola Boschedal

A vinícola que fomos em Franschhoek foi a Boschendal e mais uma vez ficamos encantados! Os vinhos, com forte influência francesa, são uma delícia! Mas, naquele momento já estávamos um pouco alegres demais para degustar da forma que gostaríamos, rs. No fim, eu acabei não comprando nenhum vinho dessa vinícola, porque, infelizmente minha cota já havia ultrapassado.

Os preços eram incríveis: garrafas a partir de 40 rands (+- R$10)
Nosso último brinde antes de voltarmos para Cape Town.

Onde ficam

Apesar das vinícolas serem de fácil acesso e bem próximas a Cape Town, eu não recomendo que esse passeio seja feito de carro. Você vai passar o dia inteiro tomando vinho e por isso é melhor não pegar a estrada.

Minha última dica: Vivino

Para quem é amante de vinhos como eu, sugiro baixar no seu celular o aplicativo Vivino.

Com este aplicativo, você pode tirar foto do vinho que você está querendo comprar que ele vai ler o rótulo e te mostrar as avaliações, e a média de preço. Ele também sugere vinhos de acordo com o seu gosto, e claro com o seu bolso. Você determina o valor que quer gastar e ele te mostra as melhores opções. Além disso, você também pode deixar sempre os seus favoritos “a mão” numa wine list para você nunca se esquecer os nomes dos seus preferidos. É um ótimo aplicativo para quem ama vinhos!

Use o Vivino no seu tour de vinhos na África do Sul e monte a sua lista de favoritos!

*O aplicativo é grátis e pode ser baixado pela App Store ou Google Play.

E você? É amante de vinhos como eu, ou é mais do time da cervejinha? Conta pra gente se você já visitou alguma vinícola. E caso queiram saber mais sobre vinhos, eu também visitei a Concha y Toro no Chile e contei tudo nesse post aqui. Um beijo e até o próximo post. 😉

**Post atualizado em 23/08/2017.

Amanda Saueia

Brasileira. Geminiana. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Amanda Saueia

Brasileira. Geminiana. Contadora. Apaixonada pelo novo, livros, fotografia, música e arte. LOUCA por viagens!

Deixe um comentário