Como é dirigir na mão inglesa na África do Sul

Nunca imaginei que um dia iria dirigir no banco do passageiro (oi?), com tudo invertido e ainda pra completar a façanha: fora do país! Pois bem, esse dia chegou e foi nessa última viagem que fizemos para África do Sul. Neste post eu conto como foi a minha experiência dirigindo na mão inglesa!

Quando eu comecei a pesquisar sobre como funciona o transporte na África do Sul, em especial em como poderíamos economizar (pois, a princípio viajaríamos em 4 pessoas), li muitos relatos de brasileiros que alugavam carros tanto em Joanesburgo quanto em Cape Town, por conta da distância de alguns pontos turísticos e também pela economia.

Alugando um carro em Joanesburgo

O fato decisivo para a locação do carro em Joanesburgo foi que iríamos passar o Natal no famoso The Palace of The Lost City, que fica em Sun City a 203 km do centro da cidade. O preço dos transfers para lá variavam de 3.000 rands a 3.950 rands o trecho, ou seja, uns R$ 1.800 ida e volta 😮

Isso daria uma média de R$ 450,00 pra cada um! 😯

Partindo daí e também de que queríamos conhecer outros pontos turísticos que eram longes do centro, decidimos alugar um Hyundai i20 automático para quatro pessoas pelo site da Holiday Cars, por 7 dias pelo valor aproximado de R$136 por pessoa, ou seja, uma baba! 😀

O modelo que alugamos.

Com relação a gasolina, o carro foi bastante econômico! Rodamos os 7 dias que estivemos lá com ar condicionado e gastamos o equivalente a 500 rands, que em reais é mais ou menos R$125, ou seja, só R$32 para cada.

Em Joanesburgo haviam vários pedágios, contudo eram bem baratinhos e na soma final não chegou a R$10 por pessoa. Lá o sistema é tipo o “Sem Parar” daqui do Brasil e funciona muito bem: o aparelhinho colado no painel do carro apita toda vez que você passa num pedágio e depois que você devolve o carro, a locadora debita o valor total do seu cartão de crédito.

Em todo o período que estivemos em Joanesburgo ficamos com o carro, então o pegamos e o deixamos no aeroporto na hora de ir para Cape Town 🙂

Alugando uma minivan Cape Town

Já em Cape Town estávamos em 6 pessoas, como tínhamos interesse em fazer o trajeto do Cabo da Boa Esperança e visitar outros pontos distantes, também alugamos pelo mesmo site um carro com 7 assentos! Isso mesmo, eu dirigi na mão inglesa uma mini van praticamente hahaha 😛

Parada estratégica para fazer umas fotos a caminho do Cabo da Boa Esperança.

Carros de 7 lugares são até bem comuns na África do Sul, inclusive lá o Uber tem a opção UberXL que é para carros para mais de 4 passageiros. O carro que alugamos em Cape Town era um Kia Sportage.

Veja também: Mandei meus pais sozinhos para o Chile!

Dirigindo na mão inglesa

O valor total da locação foi de R$705, sendo que estávamos em 6 pessoas, ficou R$117,50 pra cada. De gasolina o gasto médio também foi de 400 rands, que ficou em torno de R$17 por cabeça. Em Cape Town não passamos por nenhum pedágio.

Economizamos muito porque os tours que partem para o Cabo da Boa Esperança não são lá muito baratos, fora que fazem aquele roteiro “engessado” né? E também porque acabamos economizando com o retorno ao aeroporto, já que deixamos o carro lá antes de partirmos pro Quênia.

O moderno sistema de parquímetro de Cape Town

Por ser uma cidade turística, achar um lugar para estacionar no centro de Cape Town no verão pode não ser uma tarefa muito fácil devido ao alto número de carros circulando pelas ruas. É claro que existem inúmeros estacionamentos pela cidade, mas a forma mais econômica continua sendo estacionar na rua mesmo, e funciona mais ou menos assim:

  1. Procure por uma vaga nas áreas que tem uma placa azul com um P (de parking, é claro), é lá que você pode estacionar.
  2. A placa também informa o tempo máximo permitido para estacionar que vai de 15 à 120 minutos.
  3. Procure o cara do colete laranja da TCT – Transport of Cape Town e informe por quanto tempo você vai deixar o carro na vaga.
  4. Pague o cara.
  5. Em seguida, o cara vai pegar um celular e tirar uma foto da placa do seu carro que vai constar a hora que você estacionou e vai ficar ali por perto… controlando no manual o tempo dos carros estacionados.

O valor cobrado é de 4 rands para cada 15 minutos estacionados.

Precisa da Permissão Internacional para dirigir?

Bom, há controvérsias. Li alguns relatos em outros blogs a respeito de locadoras que exigem o documento. No meu caso, eu preferi tirar e levar a PID nessa viagem, porém nas duas vezes que eu loquei os carros, uma com a Budget e outra com a Europcar, em nenhuma me pediram. Pelo contrário, a única exigência que fizeram foi da CNH brasileira mesmo.

Há também quem diga que a Permissão Internacional para Dirigir é necessária caso você seja abordado pela polícia de trânsito do país. Como não passei por isso não sei dizer se realmente é o que acontece. Se quiser conferir a lista de países em que a PID é aceita, clique neste link.

Por questões de segurança “borrei” algumas informações pessoais do documento. Mas dá para ter uma ideia de como é a PID – Permissão Internacional para Dirigir.

Como faz para tirar a PID?

Eu fiz a minha no DETRAN MS de Campo Grande. Só precisei ir lá com a CNH original e a cópia, pagar a guia de recolhimento que peguei lá mesmo (e que custou salgados R$267,93) e voltar para buscar PID na semana seguinte.

Mas a burocracia e os valores dependem do DETRAN de cada estado. Em São Paulo, por exemplo, você consegue resolver tudo pelo site do DETRAN SP e seu documento chega pelos correios. Então, verifique no site do DETRAN do seu estado como funciona.

E como foi dirigir na mão inglesa??

E como foi dirigir na mão inglesa? Tranquilo! Logo que eu peguei o carro no aeroporto de Joanesburgo eu fiquei tenso, muito tenso mesmo, pensando que eu não ia dar conta. Então fui bem devagar… lembrando sempre “esquerda… esquerda… pista da esquerda…” até que ficou muito natural. Nosso cérebro é louco né?

Eu sempre me esquecia do lado “certo” na hora de entrar no carro hahaha e sempre ia pro banco do passageiro. Outra coisa muito comum é ligar o limpador ao invés da seta, como também procurar o câmbio na porta 😀

Mas assim, acredito que não tenha sentido tanta dificuldade, primeiro porque na África do Sul as pistas são excelentes e sinalizadas, como também pelo fato de ter optado pelo carro automático… Isso com certeza fez toda diferença! Então, pense bem quando for locar um carro para dirigir na mão inglesa. As vezes vale a pena investir um pouco mais e ter mais controle na direção, com mais segurança. 😉

E você? Já dirigiu na mão inglesa? Tem coragem? Conta pra gente!

**Post atualizado em 23/08/2017.

Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

6 pensamentos

  1. Muitooooo bom o seu texto! Foi de suma importância! Estamos indo em 8 pessoas e estou pensando se vale a pena pegar uma vam ou 2 automóveis.
    Para quem é mineiro o PID é muito fácil de ser requerer. Basta ebtrar no site do Detran e pagar a taxa R$159,32 . O PiD é enviado pelos Correios em até 15 dias aproximadamente. Grande abraço e mais uma vez parabéns!

    1. Oi Flamarion, tudo bem? Fico muito feliz que tenha gostado! Acho que como vocês vão em 8 pessoas, seja mais interessante mesmo pegar 2 carros… Há opões mais baratas e pode ser que seja mais confortável também.
      Espero vê-lo mais por aqui!
      Fizemos um post sobre o Cabo da Boa Esperança com algumas dicas de paradas, confira!
      Grande abraço.
      Rodrigo

  2. Olá! Muito bom o teu relato. Eu reservei um carro em Cancún pelo Holiday Cars. Não a conhecia, ainda estou um pouco grilado, pois o valor dela é bem mais baixo que as outras mais conhecidas como Rental Cars, Rentcars, etc. Lendo que você alugou por ela e deu tudo certo, fico mais tranquilo. Abraços!

    1. Oi Alexandre, que bom que você gostou. Não tivemos nenhum problema com eles, foi tudo certo. Nós ficamos com um pouco de receio também, pois o valor geralmente é bem menor! Aproveite sua viagem.
      Abraços.
      Rodrigo

Deixe um comentário