Como organizar sua viagem pela África: África do Sul, Quênia e Tanzânia

Conhecer o continente Africano é uma experiência única, pois é possível conhecer praias paradisíacas, presenciar a vida selvagem de perto, curtir grandes cidades, conhecer o deserto, conviver com culturas únicas e pessoas incríveis. Nesse post eu vou contar como organizamos uma viagem para África do Sul, Quênia e Tanzânia!

Continente Africano

Na verdade das verdades, não posso dizer que escolhemos voltar a África (já estivemos lá quando fomos ao Marrocos), ou que foi planejado, porque não foi. O que aconteceu foi simples: O acaso fez com que fossemos escolhidos por ela.

Tudo começou em meados de fevereiro de 2016, eu tinha pontos no cartão de crédito e queria transferir para algum programa de milhagens que possibilitasse a nossa viagem no final do ano, gastando o mínimo possível dessas milhas.

Em razão disso, o Henrique começou a marcar no My Maps do Google a quantidade de pontos necessários para emissão das passagens, comparando todos os trechos saindo da nossa cidade natal, Campo Grande/MS, para o mundo 😛

Através desse gráfico que descobrimos que a África do Sul era o destino com maior disponibilidade de voos, e mais barato também, custando 25 mil pontos cada trecho, totalizando 50 mil pontos, pela Multiplus. Assim, sem muitas pesquisas e na loucura, emitimos as passagens para ficarmos quase 1 mês no continente africano!

África do Sul

Logo de cara decidimos passar o ano novo na Cidade do Cabo porque dizem que é um dos melhores do mundo. Mas ainda precisávamos definir quais outros países além da África do Sul conheceríamos e montar o roteiro… Foi uma euforia só!

Pensamos no Malawi, Zâmbia, Zimbábue, Namíbia, Tânzania e até cogitamos dar uma passadinha em Moçambique. Claro que não pensamos em todos na mesma viagem, mas queríamos tornar esse “mês” intenso.

E agora? Para onde ir além da África do Sul?

E aí veio o desespero…

Passando a euforia, começamos a estudar a viabilidade desses países e dos roteiros que faríamos e o resultado foi um só: DESESPERO.

Nós achávamos que iramos encontrar valores atrativos de passagens aéreas (low cost) ou até mesmo outros meios de locomoção para circularmos dentro do continente, contudo, todas as passagens que a gente procurava eram muito caras (no nosso ponto de vista) e, para piorar, a locomoção de carro/ônibus/trem era totalmente inviável.

Foi um banho de água fria… pois, tínhamos quase um mês e não conseguíamos pensar em nada que fosse viável e barato.

:'( Te desanimei?

Calma! Depois de alguns meses, intensifiquei as buscas e fui descartando o que não seria possível conhecer naquela época do ano, fosse pelo preço, pelo clima e até pela falta de facilidade de locomoção e execução do roteiro, evitando perder muito tempo em trajeto, etc.

A Namíbia era um sonho meu, mas descartamos porque era período de chuva e os principais passeios estariam inoperantes. 🙁

Época de chuva na Namíbia

Passagens muito caras?

Já o Malawi, tivemos que descartar de vez porque as passagens eram muito caras, tentamos de tudo, todas combinações possíveis, mas realmente não conseguimos fazer com que coubesse em nosso orçamento.

Chegando a vez da Zâmbia e do Zimbábue, decidimos deixar para conhecer quando fôssemos a Namíbia e Botswana, pois é um roteiro interessante e viável (no sentido financeiro e logístico) de ser executado.

Restou então Moçambique e Tanzânia. Moçambique tem praias paradísicas que queríamos muito conhecer mas, se fossemos para lá não conseguiríamos conhecer nenhum outro país.

Também tivemos que descartar logo de cara a possibilidade de fazer os safáris e escalar no Kilimanjaro na Tanzânia porque ocupariam muito tempo da viagem. Nosso maior interesse na Tanzânia passou mesmo a ser relaxar em Zanzibar.

Conhecer o monte Kilimanjaro na Tanzânia teve que ficar para a próxima :/

…mas foi aí que as coisas começaram a dar certo!

Após MUITAS pesquisas de passagens no Momondo, que é um site de busca de passagens que eu gosto muito, decidi pesquisar voos partindo de Joanesburgo com destino final a Zanzibar na Tânzania.

Eu sempre pesquisava voos diretos para Dar es Salaam, que é o principal aeroporto do país, acreditando que seria mais barato, ainda que teria que pegar um ferry (barco) ou um voo low cost (custo baixo) para chegar a Zanzibar.

Nosso foco passou a ser conhecer Zanzibar

Para minha supresa, achei um voo da Kenya Airways que partia de Joanesburgo a Zanzibar, com conexão em Nairobi no Quênia pelo valor de R$ 1.500,00 ida e volta com todas as taxas incluídas.

Super dica: Você pode comprar as passagens da Kenya Airways no site da KLM Brasil. Dependendo do seu ponto de partida, você pode pagar em R$!

Achei meiiiio caro mas, pensei que talvez eu pudesse fazer essa tarifa ficar mais interessante. E daí tive a grande ideia de verificar se a cia. aérea permitia fazer stopover no Quênia.

Stopover é uma parada por alguns dias no destino de conexão sem custo ou com um pequeno custo adicional.

E o resultado???

A cia permitia sim fazer stopover de graça no Quênia! Ufa, vi uma luz no fim do túnel! Além de adicionar mais um destino na nossa lista, essa tarifa iria otimizar o nosso tempo de trajeto pois, iríamos descer direto em Zanzibar ao invés de ir para Dar es Salam e pegar um barco até lá.

Evitamos então os gastos extras com o barco e também não tivemos que nos preocupar com a nossa bagagem, afinal a franquia de bagagem desse voo era de duas malas de 24kg cada.

Uma viagem, três quatro países!

Decidimos comprar as passagens restantes e finalmente definimos o roteiro dos países, que ficou da seguinte forma: África do Sul, Quênia e Tanzânia.

Como chegaríamos através de Joanesburgo, resolvemos ficar alguns dias pela cidade e arredores para então seguir para Cape Town. Compramos a passagem da FlySafair, que é uma cia. africana low cost, que custou R$ 302,75 com todas as taxas.

Como nosso voo para o Quênia partia de Joanesburgo, compramos a passagem de volta pela Mango , que também é uma cia. africana low cost. Pagamos o valor de R$ 390,00 com todas as taxas.

Nota: Compramos as passagens separadas porque a diferença de preço era absurda.

Você deve estar se pensando: “Porque não saíram direto de Cape Town para o Quênia? Ou pra Zanzibar? A resposta é simples: Os preços eram absurdamente caros! Compensou e muito comprar esse trecho adicional para retornar a Joanesburgo e seguir a viagem.

Promoções

É óbvio que ao longo do ano, há diversas promoções e preços extremamente atrativos. Porém, fomos em uma época do ano que é considerada ALTÍSSIMA TEMPORADA na África do Sul, ou seja, achar passagens “baratas” que saíssem de lá, era praticamente uma missão impossível.

Feito esses esclarecimentos, o que eu posso dizer é que dentro desses países, criamos um roteiro incrível que nos possibilitou ter experiências únicas, vencer medos e ter uma das melhores viagens das nossas vidas.

O custo final das passagens ficou da seguinte forma:

  • Campo Grande/MS ⇔ Joanesburgo: 50 mil pontos Multiplus + taxas de embarque no valor de R$ 439,89. Brinde: Na volta tivemos uma conexão de 16 horas em Londres que contaremos em um post exclusivo sobre como aproveitamos esse tempo lá;
  • Joanesburgo ⇒ Cape Town: R$ 302,75 (com franquia de bagagem e taxas incluídas);
  • Cape Town ⇒ Joanesburgo: R$ 390,00 (com franquia de bagagem e taxas  incluídas);
  • Joanesburgo ⇒ Nairóbi (stopover) ⇒ Zanzibar, Zanzibar ⇒ Joanesburgo: R$ 1.500,00 (com franquia de bagagem e taxas  incluídas);

Custos gerais:

O custo de TODAS as passagens para conhecer 4 países (sim, estou contando a parada em Londres também), incluindo os trechos internos foi: R$ 2.632,64.

Gostou? Então vem com a gente e nos acompanhe, pois contaremos em detalhes a nossa saga pelo sul do continente africano 😀

Veja também: Vale a pena mergulhar com os tubarões?

**Post atualizado em 23/08/2017.

Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

Comente pelo Facebook

Comentários:

Autor: Rodrigo Coelho

Advogado.
Apaixonado por culturas, cheiros e sabores diferentes.
Viajante compulsivo.

10 pensamentos

  1. Pessoal o que acham de fazer um canal no youtube? Eu amo ler o blog com as dicas de vcs mas queria tb queria ver!

  2. Olá pessoal! Pretendo ir à África em setembro e achei interessante essa história do stopover no Quênia. Vocês entraram em contato com a cia? no momento da compra da passagem eu preciso informar que ficarei alguns dias em Nairobi antes de ir pra Zanzibar? Obrigada!!

    1. Olá Karina!
      Compramos as passagens da Kenya Airways, através do site da KLM. Escolhemos a opção multiplus destinos. Veja quanto tempo consegue ficar em Nairobi 🙂 no nosso caso conseguimos 4 dias.

Deixe um comentário